26 de mai de 2013

Festival Casarão continua vivo


Por Mary Camata 

Depois de dois anos afastada do Festival Casarão devido à agenda lotada de compromissos, no último final de semana consegui conciliar a minha agenda de trabalhos com a abertura do Festival Casarão.

Que saudade eu estava de sentir o “clima Festival Casarão”. É uma mistura de bandas antigas com bandas novas e bandas conhecidas com um público sedento por um bom rock e cultura sempre em uma casa que conforte os roqueiros rondonienses. O homem do Casarão, Vinicius Lemos, atento a todo momento a movimentação e sem deixar de curtir um pouco cada “pupila” escolhida por ele a subir no palco.

Infelizmente cheguei um pouco atrasada e perdi a banda rondoniense Wari, a primeira da noite no lotado Pioneiros Pub e já começava o show da banda Os Últimos, da cidade de Ariquemes com um som mais indie e um show envolvente. Em seguida, os meninos de Cuiabá, Branco e Tinto, esquentaram o Festival Casarão com sua pegada totalmente rock and roll.

A quarta banda a subir no palco da primeira noite do Festival Casarão, foram os mineiros da Leave Me Out com uma mistura na dose certa de grunge, rock e metal. Um dos pontos altos da primeira noite do Festival Casarão foi o show de uma das bandas mais queridas de Porto Velho, a Maria Melamanda que subiram ao palco emocionados e foram ovacionados pelos fãs da banda que sabia cantar todas as músicas do repertório antigo da banda.

O último show da noite, os cariocas da banda Matanza, subiram ao palco por volta da 1h da manhã. Conversando com o Jimmy, vocalista do Matanza antes do show, ele contou da satisfação em estar de volta ao festival depois de alguns anos. “É maravilhosa essa sensação de rever o quanto gostam da gente a cada vez que voltamos aqui”, disse Jimmy que contou que o próximo show da banda já seria no sábado, no Tendencies Rock Festival, em Palmas do amigo Porkão.

Em seu Facebook, o organizador do Festival Casarão falou do dever de missão cumprida em mais uma edição. “Mais um ano, mais uma edição. Não é fácil, fazer o festival é difícil, numa cidade sem incentivo e com complicações cada dia maiores. Lugares difíceis, autorizações complexas e mudanças aconteceram. Foi o melhor que pudemos fazer para esse ano. Hoje é um momento de agradecer, agradecer pela edição, todos os 3 dias lotados. E por um público sedento por cultura, sedento pela música. Porto Velho merece um festival desse porte e temos que provar a cada ano que fazemos por merecer essa confiança. O festival desse ano não seria possível sem o Banco da Amazonia. Obrigado de coração ao Banco da Amazonia e Governo Federal.
O Pioneiros merece ser destacado, recebeu o evento 11 dias antes e se esforçou de sobremaneira para acontecer. Não é o maior local, mas foi o que tornou possível. Tivemos nesse ano uma atenção da mídia nunca antes vista. Todos foram importantes pra acontecer. Depois que começa o evento no primeiro dia, o foco são as bandas, dar o melhor, ser justo com todas as bandas e parecer ser chato com cada uma pra entrar e sair, mas é pensando em todas que fazemos isso. Não é fácil, mas nos propomos a fazer por 14 anos algo que muitos não aguentaram por muito tempo. E vamos continuar a fazer. Agradeço a todas as bandas Voces fizeram o Festival”
, finalizou Vinicius Lemos e que venha a 15ª edição.

22 de mai de 2013

Tudo pronto para o Festival Casarão


Começa nesta quinta-feira (23), em Porto Velho, a 14ª edição do Festival Casarão. Um dos principais festivais de música independente da Região Norte reunirá bandas de diversas regiões do Brasil durante três dias de evento.

Uma das principais atrações do Festival se apresenta logo no primeiro dia de festa. A banda de rock carioca Matanza estará de volta depois de cinco anos do primeiro show na edição do Festival Casarão de 2007. O vocalista da banda Matanza, Jimmy London, falou sobre o retorno a Rondônia e sobre os inúmeros shows que estão fazendo pelo Brasil a fora. “Olha, honestamente, eu sinto muito prazer em ir a todos os lugares deste Brasil, mas o que vejo realmente são as camisetas pretas se divertindo em todas as cidades, e isso é o que realmente importa pra gente. Se nosso show for em Rondônia ou na outra ponta do mundo, a gente vai suar sangue igual pra fazer o melhor show possível, sempre e vai ser muito bom termos a chance de fazer isso ai no Festival Casarão mais uma vez. Não somos grandes merdas, mas a merda que fazemos, fazemos com toda a vontade do mundo”, disse Jimmy.

Para o público das antigas, o ex-vocalista da lendária banda Ira!, Nasi vem com seu show próprio na sexta-feira (24) tocando sucessos da banda, músicas dos anos 80 e de seu trabalho solo. Nasi também falou sobre o seu show no Festival Casarão. “A expectativa é muito boa! Já toquei algumas vezes em Porto Velho com a banda Ira! e depois retornei ao estado já em minha carreira solo. Já fui com o meu trabalho “Vivo na Cena” e agora vou levar o meu novo trabalho chamado “Perigoso”, falou Nasi que deixou um recado aos fãs. “Podem esperar muita energia, emoção, entrega e muito rock em nosso reencontro na capital Porto Velho”.

Outro destaque desta edição do Festival é o cantor e compositor Dimazz que se apresenta na sexta-feira lançando seu trabalho Suíte Amandita. “Para mim que cresci em Porto Velho, é uma realização a parte estar nesta edição do Festival. Voltar para tocar aqui sempre foi uma vontade minha. Infelizmente ainda não pude vir com a formação completa, mas isso não diminui a empolgação. Para quem já ouviu o meu trabalho e percebe a influência de música clássica, neste festival, com essa formação, pode esperar uma sonoridade mais crua, enérgica e explorando mais a guitarra”, contou Dimazz que atualmente mora na Bahia.

Kali e os Kalhordas
No sábado (25), o dia gratuito, a banda portovelhense Kali e os Kalhordas vem trazendo toda a sua doçura ao Festival. A cantora Kali Tourinho contou sobre a expectativa deste ano. “Nossa expectativa para esse ano é de um festival repleto de ótimas bandas locais. Muita gente boa com quem dividimos noites e palcos durante esse nosso um ano e meio de trabalho. Bandas como SexyTape, Wari, Beradelia, Versalle, Os Últimos (Ariquemes), entre outros. Estamos super motivados por, novamente, encontrar a galera da banda Cassino Supernova (DF)”, contou Kali.

Vinicius Lemos, organizador do festival falou sobre a edição deste ano. "O festival encontrou um tamanho, um formato que deu certo no ano passado e fomos 100% elogiado por crítica e público. E seguimos no mesmo ritmo. Aprovados em um edital (Banco da Amazônia) depois de 5 anos foi um reconhecimento enorme e a manutenção do nível se torna cada vez mais primordial para manutenção desse reconhecimento.", conta Lemos. Os ingressos estão sendo vendidos na Discolandia.

Confira a programação completa do Festival Casarão: 

Dia 23, quinta, 20h30, Pioneiros Pub
Wari (RO)
Os Últimos Cariquemes (RO)
Branco ou Tinto (MT)
Leave Me Out (MG)
Maria Melamanda (RO)
Matanza (RJ)

Dia 24, sexta, 20h30, Pioneiros PubSexytape (RO)
Sub Pop (RO)
Dimazz Trio (BA/RJ)
Mezatrio (AM)
Versalle (RO)
Nasi (SP)

Dia 25, sábado, 18h30, Mercado Cultural Eis o Arquiteto (RO)
Illusion Of Death (RO)
Coveiros (RO)
Beradelia (RO)
Kali e os Kakhordas (RO)
Cassino Supernova (DF)

15 de mai de 2013

Nasi fala sobre expectativas para o Festival Casarão

Por Mary Camata 

Na próxima semana, Porto Velho receberá a 14ª edição do Festival Casarão nos dias 23, 24 e 25 de maio, um dos principais festivais de música independente do Brasil, que reúne bandas de diversas regiões, além das atrações locais e nacional, numa edição que promete ser histórica.

Uma das atrações principais do Festival, o cantor Nasi, ex-vocalista da lendária banda de rock Ira!, falou sobre o seu show no Festival Casarão que acontecerá no dia 24 de maio. “A expectativa é muito boa! Já toquei algumas vezes em Porto Velho com a banda Ira! e depois retornei ao estado já em minha carreira solo. Já fui com o meu trabalho “Vivo na Cena” e agora vou levar o meu novo trabalho chamado “Perigoso”, falou Nasi que deixou um recado aos fãs. “Podem esperar muita energia, emoção, entrega e muito rock em nosso reencontro na capital Porto Velho”.

Nasi sabe bem o que quer. É o que mostra em seu novo trabalho solo chamado Perigoso e que sai agora pelo Álbum Virtual – Trama e em CD pela gravadora Coqueiro Verde. São 10 músicas em uma mistura de rock com a negritude da música americana e que o torna não apenas o trabalho mais conciso do vocalista e compositor, mas aquele que define sua assinatura no que acredita como músico.

A banda de rock mineira Leave Me Out é outra atração confirmada para o Festival Casarão. Formada em 2009, a banda Leave Me Out vem se destacando no cenário da nova música independente brasileira, tendo se apresentado em grandes festivais pelo Brasil. A banda que se prepara para o lançamento do seu primeiro CD que será lançado no segundo semestre, também falou sobre as expectativas para o Festival Casarão. “É a primeira vez que vamos tocar em Porto Velho e no dia 23 de maio vamos ter a oportunidade de mostrar nosso trabalho para o público de Rondônia”, disse um dos integrantes da banda.

Confira a programação completa do Festival Casarão: 

Dia 23, quinta, 20h30, Pioneiros Pub
Wari (RO)
Os Últimos Cariquemes (RO)
Branco ou Tinto (MT)
Leave Me Out (MG)
Maria Melamanda (RO)
Matanza (RJ)

Dia 24, sexta, 20h30, Pioneiros Pub
Sexytape (RO)
Sub Pop (RO)
Dimazz Trio (BA/RJ)
Mezatrio (AM)
Versalle (RO)
Nasi (SP)

Dia 25, sábado, 18h30, Mercado Cultural
Eis o Arquiteto (RO)
Illusion Of Death (RO)
Coveiros (RO)
Beradelia (RO)
Kali e os Kakhordas (RO)
Cassino Supernova (DF)

13 de mai de 2013

Polysom relança primeiro disco do Pato Fu em vinil

Os anos 90 trouxeram para a música brasileira bandas que incorporavam vários estilos ao rock, fazendo do som daquele período algo inventivo, fresco e diverso. Entre os grupos que surgiram na época, o Pato Fu, sem dúvida, era um dos mais emblemáticos. E “Rotomusic de Liquidificapum”, lançado em 1993, foi seu cartão de visitas. É ele que a Polysom relança em vinil de 180 gramas dentro da série “Clássicos em Vinil”.

Nascido como um trio, a formação do Pato Fu foi alterada no terceiro álbum, “Tem, mas acabou”, com a entrada do baterista Xande, e permanece a mesma até hoje. Apesar disso, o disco de estreia mostra os mineiros com uma sonoridade um tanto diferente, bem mais suja, pesada e influenciada pelo punk rock.

Produzido por John Ulhoa e Haroldo Ferretti (Skank), “Rotomusic de Liquidificapum” é composto por 12 faixas que chamam atenção pelos ousados arranjos, pelas letras irônicas e pela delicada voz de Fernanda Takai. Ulhoa assina sozinho a composição da metade do álbum e o restante escreveu em parcerias com Fernanda Takai, Ricardo Koctus e Rubinho Troll. Estão no disco músicas como “Hino Nacional do Pato Fu”, “Gimme 30”, “O Processo de Criação Vai de 10 a 100 mil”, “Eu Sou o Umbigo do Mundo”, entre outras. Há também a versão do Pato Fu para a música “Sitio do Pica Pau-Amarelo”, de Gilberto Gil. Com informações da Assessoria.

7 de mai de 2013

Banda Branco ou Tinto estará de volta no Festival Casarão

Foto: Rafael Manzutii/Divulgação
Nos dias 23, 24 e 25 de maio, Porto Velho receberá a 14ª edição do Festival Casarão, um dos principais festivais de música independente do Brasil, que reúne bandas de diversas regiões, além das atrações locais, numa edição que promete ser histórica.

A banda de rock cuiabana Branco Ou Tinto, também já confirmou presença no Festival deste ano. Pela segunda vez em terras rondonienses, o vocalista e guitarrista da Branco ou Tinto, Welliton Moraes, falou da expectativa de voltarem ao Casarão para tocarem no mesmo dia que a banda carioca Matanza. “Ficamos muito felizes quando soubemos que estávamos confirmados na programação do Festival Casarão deste ano, principalmente porque estaremos dividindo o palco com a banda Matanza (RJ). Esta é a segunda vez que estaremos tocando em Porto Velho e estamos na expectativas de fazer um belo show para a galera rock and roll da cidade. Queremos nos divertir junto com a galera e já estamos nos preparando para chegar com tudo no Casarão 2013”, disse Welliton.

A banda Branco ou Tinto se prepara agora para lançar seu primeiro disco intitulado "50 segundos", que de acordo com eles, é uma referência ao tempo que o coração leva aproximadamente para bombear o sangue por todo o corpo, numa alusão à vida.

FESTIVAL CASARÃO - Serão três dias de festa em dois locais diferentes. Nos dias 23 e 24 no espaço da boate Move Light, e no dia 25 os shows serão gratuitos, na Praça Getúlio Vargas, em frente ao Mercado Cultural, marcando o encerramento do evento. A edição deste ano é patrocinada pelo Banco da Amazônia, junto com o Governo Federal, através do Edital de Patrocínio Cultural do Banco da Amazônia. Também é patrocinado pela Itaipava.

5 de mai de 2013

Começa venda de ingressos para turnê do Black Sabbath no Brasil

Foram anunciados mais detalhes dos três shows do Black Sabbath no Brasil em outubro. As apresentações serão realizadas em São Paulo, Rio e Porto Alegre. Os preços dos ingressos variam de R$ 180 a R$ 600. A venda de entradas começa nesta segunda-feira (6), a partir de 0h01, pela internet (www.ticketsforfun.com.br). Ingressos podem ser comprados em bilheterias e postos de venda, a partir de 10h e de 9h, por telefone (4003-5588)

A apresentação em Porto Alegre está marcada para o dia 9/10, no Estacionamento da FIERGS. O local tem capacidade para 30 mil pessoas. Os ingressos custam R$ 500 (pista premium), R$ 180 (pista lote 1), R$ 200 (pista lote 2) e R$ 220 (pista lote 3). Nos dias 6 e 7 de maio, a bilheteria do show é a do Estádio Olímpico (Avenida Doutor Carlos Barbosa, 1, Azenha). Depois, a venda será no Multisom (Rua dos Andradas, 1001, Centro), das 11h às 19h.

O show em São Paulo, no dia 11/10, será no Campo de Marte. As entradas custam R$ 600 (pista premium) e R$ 300 (pista), com meia-entrada para estudantes e idosos. É esperado um público de até 70 mil pessoas. O Black Sabbath fecha a passagem pelo Brasil no Rio, na Praça da Apoteose, que pode receber até 35 mil fãs. Os ingressos custam R$ 600 (pista premium) e R$ 300 (pista e arquibancada). Há meia-entrada.

A banda que vem ao Brasil hoje é formada por Ozzy Osbourne (vocal), Tony Iommi (guitarra) e Geezer Butler (baixo). O novo disco do grupo, o primeiro desde 1978 com três dos quatro membros da formação original, se chama "13" e chega às lojas em junho. O grupo virá ao Brasil para cantar músicas de sua carreira e as novas canções do 19º disco da banda. Na gravação de "13", realizada na maior parte em Los Angeles, participaram Ozzy, Iommi e Butler. Juntos, o trio não entrava em estúdio desde "Never Say Die!", de 1978. O grupo vendeu mais de 70 milhões de álbuns ao longo da carreira.

2 de mai de 2013

Macaco Bong anuncia fim


Na última terça-feira, véspera do feriado do dia do trabalho, a banda cuiabana Macaco Bong – referência no cenário independente brasileiro – realizou sua última apresentação com sua formação original: Bruno Kayapy (guitarra), Ynaiã Benthroldo (bateria) e Ney Hugo (baixo). O show foi uma grande celebração com músicos convidados que participaram da trajetória do trio como o quarteto de metais do Móveis Coloniais de Acajú, o pianista Vitor Araújo e Gabriel Murilo, músico que gravou o mais recente trabalho da banda, “This is Role”.

No dia 23 de abril, o baterista Ynaiã Benthroldo anunciou sua saída da banda para se dedicar mais aos projetos do Fora do Eixo e foi seguido por Gabriel, que continuará em outros projetos na música. A notícia veio como susto para os fãs do Macaco Bong. Um dos fundadores da banda (ao lado de Ney Hugo, que saiu em 2012, e de Bruno Kayapy, único membro da formação original que seguia no Macaco Bong), Ynaiã disse em sua rede social que vai partir para “novas empreitadas”, sem especificar seu novo role.

Bruno Kayapy explicou ao site Soma que pretende transformar o Macaco Bong num projeto aberto, colaborando diretamente com outros artistas e até colocando vocais nas músicas do grupo até então exclusivamente instrumental. O projeto começa já em maio, ao lado do grupo Skrotes, de Florianópolis. Para o segundo semestre, Kayapy quer levar o Macaco Bong à Argentina.

“A banda agora entra em um novo ciclo. Ela vai se abrir para “vivências” ao lado de outros músicos, que trocarão experiências com a banda na estrada, em gravações conjuntas, experimentos e demais laboratórios. No momento a primeira banda a colaborar com o Macaco serão os membros do Skrotes, grupo instrumental de Floripa. Estamos saindo para uma turnê juntos em junho e julho, vamos compor novos sons e gravar algumas coisas também, além de continuar tocando as musicas do Macaco Bong na mesma pegada de sempre”, disse Kayapy para o site Soma.

A banda Skrotes será a primeira banda a fazer parte da rede de músicos do Macaco Bong. O repertório do show promete músicas inéditas, além de versões intérpretes e o principal, muito rock instrumental regado a músicas do Macaco Bong remixadas com as músicas dos Skrotes. A banda floripana vai circular os estados de SC, SP e RJ como banda de apoio de Bruno Kayapy no mês de junho e julho, são as últimas informações dos próximos projetos que Bruno Kayapy levará seguindo com o nome do Macaco Bong.


*Com informações do SOMA e foto do site Toque no Brasil.

1 de mai de 2013

Jimmy, da banda Matanza, fala sobre show no Festival Casarão

Por Mary Camata 
Neste mês de maio, Porto Velho receberá a 14ª edição do Festival Casarão, um dos principais festivais de música independente do Brasil, que neste ano acontece nos dias 23, 24 a 25 de maio e reunirá bandas de diversas regiões, além das atrações locais, numa edição que promete ser histórica.

Uma das atrações confirmadas deste ano é a banda carioca Matanza que estará de volta depois de cinco anos do primeiro show na edição do Festival Casarão de 2007. O vocalista da banda Matanza, Jimmy London, falou sobre o retorno a Rondônia e sobre os inúmeros shows que estão fazendo pelo Brasil a fora. “Olha, honestamente, eu sinto muito prazer em ir a todos os lugares deste Brasil, mas o que vejo realmente são as camisetas pretas se divertindo em todas as cidades, e isso é o que realmente importa pra gente. Se nosso show for em Rondônia ou na outra ponta do mundo, a gente vai suar sangue igual pra fazer o melhor show possível, sempre e vai ser muito bom termos a chance de fazer isso ai no Festival Casarão mais uma vez. Não somos grandes merdas, mas a merda que fazemos, fazemos com toda a vontade do mundo”, disse Jimmy.

O guitarrista do Matanza, Mauricio Nogueira, também comentou sobre o que os fãs podem esperar do show. “Po, a expectativa é a melhor possível. Quando tocamos aí a galera foi muito louca os bebuns todos berrando e as diabinhas deixando o ambiente um pouco melhor hahahah, mas sempre que tocamos em Rondônia foi muito bom. Vamos tocar umas 30 músicas, umas novas, outras velhas. Vai ser um show típico com muito country hardcore, metal e rapidez. Muito obrigado galera de Rondônia pelo convite. Pode ser longe dos grandes centros mas é muito importante para nós estarmos aí”, disse o guitarrista animado.

PROGRAMAÇÃO - Para um público mais antigo, o ex-vocalista da lendária banda Ira!, Nasi vem com seu show próprio tocando sucessos da banda, músicas dos anos 80 e de seu trabalho solo.
No dia gratuito, o show que surpreendeu a todos no ano passado, da banda brasiliense Cassino Supernova fechará o Festival na praça Getulio Vargas. Fora isso, mais 15 bandas de vários estados completam a programação do Festival. Vinicius Lemos, organizador do festival falou sobre a edição deste ano. " O festival encontrou um tamanho, um formato que deu certo no ano passado e fomos 100% elogiado por crítica e público. E seguimos no mesmo ritmo. Aprovados em um edital (Banco da Amazônia) depois de 5 anos foi um reconhecimento enorme e a manutenção do nível se torna cada vez mais primordial para manutenção desse reconhecimento."

Serão três dias de festa em dois locais diferentes. Nos dias 23 e 24 no espaço da boate Move Light, e no dia 25 os shows serão gratuitos, na Praça da Getulio Vargas, em frente ao Mercado Cultural, marcando o encerramento do evento. A edição deste ano é patrocinada pelo Banco da Amazônia, junto com o Governo Federal, através do Edital de Patrocínio Cultural do Banco da Amazônia. Também é patrocinado pela Itaipava.


AGENDA – 14ª Edição do Festival Casarão

Dia 23 e 24 de maio - Move Light - A partir das 20h30
Dia 25 de maio - Praça Getulio Vargas/Mercado Cultural. A partir das 18h30
Bandas - Matanza (RJ), Nasi (SP), Cassino Supernova (DF) + 15 Bandas.