30 de out de 2013

Sepultura cancela turnê norte-americana

A banda brasileira Sepultura cancelou sua turnê norte-americana, que deveria começar na próxima sexta (1º), por não conseguir obter a tempo os vistos para entrar nos Estados Unidos. O comunicado foi feito no perfil oficial da banda no Facebook.

“Devido ao atraso na obtenção do visto para a banda entrar nos Estados Unidos, lamentamos informar a todos os fãs que a anteriormente anunciada turnê norte-americana está cancelada. Pedimos desculpas aos fãs, promotores e às bandas que fariam parte da turnê “Tsunami of metal” – Unearth, Kataklysm, Scar the Martyr, Anciients e Dark Sermon. Os fãs que compraram ingressos antecipadamente terão direito a um reembolso total”, diz o texto.

A turnê, que iria começar em Hollywood e terminaria em Austin, no dia 24, incluía 19 shows, sendo dois no Canadá, e seria parte das comemorações dos 30 anos de carreira da banda e da divulgação de seu 13º disco, “The mediator between head and hands must be the heart”, lançado no último dia 25. Com informações do G1.

2ª edição do Matanza Fest acontecerá em nove capitais

As bandas Mukeka di Rato, Velhas Virgens, Dead Fish e Motorocker são algumas das bandas convidadas
Numa iniciativa ousada, a banda carioca Matanza criou seu próprio festival no ano passado. A ideia era fomentar ainda mais a cena roqueira nacional, passando por várias capitais do Brasil, levando algumas das grandes bandas de rock da geração e oferecendo ao público uma boa estrutura e um som de alta qualidade. Ao todo, mais de 10 mil pessoas já assistiram o festival, sempre lotando as casas por onde passou.

O Matanza Fest foi tão bem sucedido que em 2013 terá sua segunda edição, nos mesmos moldes, mas com mais cidades na turnê. Desta vez o festival vai passar por nove capitais brasileiras. Os anfitriões do Matanza sempre fecham a noite e as outras bandas variam conforme as cidades, mas são sempre legítimos representantes do rock como Velhas Virgens, Dead Fish, Claustrofobia, Roadsider, Mukeka Di Rato, Motorocker, Plastic Killer e outros.

Confira as capitais que o Matanza Fest estará passando:

13/12 – São Paulo/SP

20/12 – Rio de Janeiro/RJ

24 de out de 2013

Tico Santa Cruz lança seu segundo livro pelo Brasil

Tesão é o segundo livro do vocalista da Banda Detonautas
A 1ª Feira do Livro de Manaus que será realizada no Centro de Convenções do Shopping Manaus Plaza, terá uma sessão de autógrafos com o vocalista da banda Detonautas, Tico Santa Cruz, no próximo dia 27/10. Lançados por ele os livros, Clube da Insônia e Tesão, as obras trazem, respectivamente, sua visão do mundo contada através de crônicas, contos e poemas que o músico criou com base em suas fantasias, sensações e relacionamentos.

Como seriam seus desejos sexuais se virassem poesia? Em meio ao boom do erotismo literário no Brasil, o músico Tico Santa Cruz publica, pela editora Belas-Letras, seus dois livros que reúnem textos já publicados em seu blog que revelam, além de liberdade sexual, habilidade literária. Entre peitos, coxas e mãos, o autor fala para todos os públicos, homens e mulheres, casados ou solteiros. Embora aborde relações que ainda são tabus para a sociedade, como o relacionamento aberto e sexo com desconhecidos.

Segundo Tico, o grande segredo de seu último livro é deixar com que os leitores tentem descobrir quais dessas situações realmente aconteceram, quais foram as suas fantasias e quais ele tem o desejo de que se realizem. O músico traz um erotismo coloquial, casual, que pode facilmente confundir-se com os próprios pensamentos do leitor enquanto imagina as situações que se despontam. E melhor: de forma poética.

As belíssimas ilustrações de Tesão, em preto e branco, são de Carlinhos Muller. E o livro traz uma identidade própria do autor, seguindo o mesmo projeto gráfico que Clube da Insônia, seu primeiro livro publicado pela editora. Tico Santa Cruz é carioca e se dedica integralmente a sua banda de rock, o Detonautas Roque Clube, criada em 1997. Compositor, escritor e poeta, é idealizador do grupo de performance social chamado Voluntários da pátria, que tem como objetivo levar música, poesia e debates sócio-políticos em escolas, universidades e penitenciárias. Na próxima terça-feira (29), a sessão de autógrafo acontece em Maceió, Alagoas. Com informações de Lilian Comunica/Assessoria.



Betoneira Rock 2013 acontece no próximo sábado

Foto: Site Rul
No próximo sábado (26), a partir das 19h, o Ginásio de Esportes Gerivaldão, em Ji-Paraná, será palco de um grande evento voltado ao público que curte o bom rock. O Betoneira Rock 2013 reunirá em sua programação sete bandas rondonienses de diferentes gêneros do rock que se apresentarão no palco do Gerivaldão que deve atrair um grande público para acompanhar os shows e as atividades que estarão acontecendo no local.

Um dos organizadores do evento, Roniclei de Melo, disse que a ideia inicial do festival é produzir um material de qualidade para as bandas locais divulgarem seus trabalhos, além de fomentar a cultura local. “Tendo como objetivo fomentar a cultura local de maneira independente e sempre buscando apoio de iniciativa privada com parcerias de empresários locais, o Betoneira vem crescendo a cada ano e englobando classes e segmentos da sociedade, fazendo deste um ponto de referência para as bandas de Rondônia que terão a oportunidade de se apresentarem em uma estrutura de qualidade para um público participativo”, disse Roni que contou que durante o evento, os shows estarão sendo gravados para a possível produção de um DVD com o show das bandas que estarão se apresentando.

O vocalista da banda porto velhense Illusion of Death, Mario Henrique, falou da experiência de se apresentarem pela primeira vez no Betoneira. “É uma honra do caramba estar nessa line-up ainda mais que o Betoneira Rock a cada ano que passa vem crescendo mais e mais. A galera pode esperar muito som pesado e porradaria no nosso show. Estamos ansiosos e esperando a presença da galera”, disse Mario.

Confira as bandas que irão se apresentar no Betoneira Rock 2013. A entrada é gratuita.

Programação
Neófytos (Ji-Paraná)

Coveiros (PVH)

Metal Man (PVH)

Old School (Ji-Paraná)

Chaoz Conspiracy (Ji-Paraná)

Amnésia (Nova Brasilândia)

Ilusion Death (PVH)

23 de out de 2013

Som do vinil se torna digital

Com estilo retrô, as vitrolas vão ganhando espaço
Os Long Plays (LPs) foram por décadas a forma popular de se ouvir música. Eles enchiam as salas das casas, e as pessoas paravam para relaxar ao som arranhado do vinil. Com o passar do tempo, surgiram diferentes maneiras de escutar música, colocando o disco em desuso. No entanto, nos últimos anos a vitrola voltou repaginada com novos dispositivos tecnológicos.

Os novos modelos têm design retrô, inspirado nos anos 50 e 60, e são equipados com recursos que podem matar de inveja qualquer micro system. Além de serem usados para os LPs, os toca discos mais modernos possuem leitores de CD, USB, docks para iPhone e ainda convertem as faixas para o formato digital. A oferta desta categoria de produtos é ampla. A loja virtual Trapemix (www.trapemix.com.br), por exemplo, dispõe de uma linha com 38 opções. Entre os mais curiosos estão o toca discos de parede e modelos inspirados pelo Gramofone e pelo Spinnerette, em formato de mala.

A vitrola mais simples disponível no site é equipada com saída RCA, entrada USB, conexão para fone de ouvido e conversor digital, e custa R$ 429. Já as mais sofisticadas chegam a R$ R$ 1.779,00, e além das funções anteriores, leem CD e fita cassete, sintonizam AM e FM e possuem controle remoto.

Artistas, como Pitty e Vanguart, lançaram recentemente trabalhos em LPs, levando a tradição do toca discos para uma geração que cresceu ouvindo falar dos famosos “bolachões”. Mas como a tecnologia está sempre um passo à frente, a vitrola já pode ser encontrada até dentro do smartphone. O aplicativo Vinyl simula o som antigo do disco, proporcionando a sensação de nostalgia ao usuário, que pode matar a saudade dos velhos tempos de uma maneira bem moderna.

*A Trapemix é uma loja virtual que oferece produtos de informática, eletrônicos, eletroportáteis, casa e decoração e outros. Faz vendas através da internet e telefone. A oferta de vitrolas retrô está disponível no site http://www.trapemix.com.br/eletronicos/toca-discos.

Jota Quest grava novo clipe com participação de Nile Rodgers

Filmado na última semana na pista de patinação Roller Jam, no bairro da Mooca, em São Paulo, o novo clipe do Jota Quest segue a trilha da disco music e aposta no ritmo e na sensualidade de feras dos "rollers" para dar imagem à dançante e divertida "Mandou Bem”. Lançada em setembro no palco do Rock in Rio e já no topo das paradas de todo país, a faixa é o primeiro single do novo álbum "Funky Funky Boom Boom", que chega às lojas no início de novembro.

Dirigido por Pietro Sargentelli, responsável por vídeos marcantes da carreira da banda, como "Na Moral", "Só Hoje" e "Mais Uma Vez", e com fotografia de Fernando Young, o clipe conta com a participação especial de Nile Rodgers, que também toca no álbum. Na semana anterior, o papa da disco music recebeu em sua casa, em Nova York, Sargentelli e o diretor de fotografia Mark Bloomgardem, que fizeram as imagens de Rodgers cantando, tocando sua famosa guitarra Fender "Hitmaker" e ainda patinando, como nos bons tempos de "Everybody Dance" e "Le Freak".

Para o elenco, além de Rodgers, os "jotas" Flausino, Paulinho, Marco Tulio, PJ e Marcio contam ainda com a participação de um time da patinação artística brasileira, além da atriz Michelle Batista e da modelo Bruna Tang. Em fase de montagem e pós-produção do clipe de "Mandou Bem" tem estreia programada para a primeira quinzena de novembro no site da banda http://www.jotaquest.com.br/ e nas redes sociais. Com informações de Patricia Dornelas.

Ouça a nova música: http://www.youtube.com/watch?v=zEWN0mC9nbI

17 de out de 2013

Um show inesquecível: Black Sabbath


Depois de viajar quilômetros de distância – coisa que para quem mora no estado de Rondônia já está mais do que acostumado – hoje eu posso dizer aliviada que eu fui em um show do Black Sabbath.

Experiência mais que inesquecível. Eu realmente achei que nunca ia conseguir ver o tiozinho Ozzy Osbourne comandar por duas horas uma galera enlouquecida e sedenta pelo heavy metal do Sabbath. Fui ao Rio para participar da Conferência Global de Jornalismo Investigativo e no meio do meu caminho, tinha um show do Black Sabbath, na Praça da Apoteose, lugar totalmente do samba que eu vi se transformar em uma pista lotada de amantes do bom e velho rock.

Com clássicos considerados hinos do rock e algumas músicas do novo disco intitulado 13, a banda britânica de heavy metal Black Sabbath tornou a noite do domingo – também 13 – inesquecível para o público que dançou e cantou ao ritmo dos veteranos músicos de Birmingham.

Com três dos quatro membros originais da banda reunidos pela primeira vez desde 1979, o Black Sabbath fez seu som obscuro, denso e pesado em um Sambódromo lotado. Os fãs de Ozzy Osbourne puderam desfrutar de sua energia aliviados, apesar de seus cansados 64 anos. Ozzy esbanjou alegria no palco. Ele dançou, animou o público e até relembrou sua cena mais clássica ao aparecer com um morcego de plástico entre os dentes em um momento do espetáculo.

A seu lado, Tony Iommi, a alma do Black Sabbath, permitiu aos presentes viajar 40 anos no tempo com seus riffs obscuros e carregados de força que abriram o show com War Pigs. Com ritmos de compasso lento e a solidez apresentada pelo terceiro membro de fundação da banda, Geezer Butler no baixo, o show mostrou todos os elementos característicos do grupo em músicas de seu novo disco como End of the Beginning, Age of Reason e God is Dead?

O público misturado de várias idades, aplaudiu Tommy Clufetos, habitual percussionista de Ozzy e único membro do quarteto que não participou da fundação da banda em 1968. Ele completou o elenco do Black Sabbath protagonizando um dos momentos mais memoráveis do show com um solo perfeito de bateria que permitiu a Ozzy, Iommy e Butler fazer um intervalo para descanso.

Para um toque final inesquecível, a banda britânica deleitou o público alucinado com "Paranoid". Quando soaram sobre o palco os primeiros acordes da música, o público subiu os decibéis sabendo que se aproximava o final de uma noite que alguns lembrarão como a última vez que viram os criadores do heavy metal juntos no palco.

Foto: G1



3 de out de 2013

Nasi e Scandurra tocam juntos pela primeira vez desde o fim do Ira!


Os músicos Edgard Scandurra e Nasi, ex-integrantes do Ira!, tocarão juntos em um show beneficente no próximo dia 30 de outubro, às 19h, no Traffô Espaço de Eventos, em São Paulo. Desde o fim da banda, essa é a primeira vez que os músicos subirão juntos ao palco.

O show, que terá repertório de sucessos do Ira!, contará com a participação especial de Paulo Ricardo e de um ex-integrante dos Titãs, ainda surpresa. Os ingressos são limitados e custarão R$180 (homem) e R$120 (mulher). O valor dará direito a open bar e comidas de boteco. Os músicos serão acompanhados no palco por Daniel Scandurra (baixo) e Felipe Mello (bateria).

A apresentação terá renda revertida aos alunos da Escola Nane - Novo Ângulo, Novo Esquema. Mais informações no site www.traffo.com.br. Com informações do site UOL.

1 de out de 2013

Lobão lança nova música na internet

A partir dessa semana, a música “Eu Não Vou Deixar” estará disponível na internet. Lobão compôs inspirado pelo coletivo Fora do Eixo, tocou todos os instrumentos e ele mesmo quem comenta: “Essa música foi composta com endereço e nome certos: o estereótipo do coletivo e do ativista coletivista. Tudo surgiu de um convite feito a Pablo Capilé (mentor do coletivo Fora do Eixo) para um hangout na internet, por ele mesmo ter se oferecido para fazer um debate "com qualquer músico, produtor musical ou seja lá quem fosse”. Achei uma excelente oportunidade para procurá-lo e convidá-lo para o tal debate. A princípio ele topou, mas, infelizmente, alguns dias depois ele desapareceu.

Depois de um tempo razoável achei de bom alvitre produzir uma canção, não só para registrar com alguma picardia sua amarelada, mas para também acender uma luz em cima desse novo/velho tipo de hiponga maoísta/digital que impregna nossos dias com pseudo novas ideias e com aquela prosódia evasivo/neotropicalista que ninguém entende coisa alguma do que eles estão falando. Esses caras querem terraplanar o indivíduo, principalmente aquele que tem qualidades especiais, aqueles que criam e inventam coisas e fazem a diferença para toda a humanidade. Esse estereótipo do ativista medíocre, recalcado de sua impotência criativa parte para uma empreitada homicida contra o autor, o músico, o gênio criador que reside em cada indivíduo com a balela frouxa de que temos de criar uma sociedade através do coletivo. Mas eles se esquecem que um coletivo não é uma unidade nem jamais irá ser. A unidade é o indivíduo e sem o florescimento integral de cada indivíduo, teremos, invariavelmente, uma coletividade de frouxos, de elementos sem voz própria que vivem a papagaiar chavões bregas e clichês esgarçados. São eles os Fora do Eixo, os Midia Ninja, os Black Blocs, os movimentos Passe Livre. Todos frouxos que se resguardam em coletivos para camuflar suas abissais desimportâncias. Pois bem, meus amigos, aqui está esse grito de guerra contra esses frouxos sempre deixando claro que um frouxo unido jamais será um indivíduo”.

Por este motivo, Lobão fez questão de gravar todos os instrumentos para mostrar que um indivíduo inteiro estará sempre muito mais apto a fazer uma coletividade infinitamente melhor do que indivíduos que teimam em começar pelo lado oposto. “Sendo assim, senhoras e senhores, com vocês... Eu Não Vou Deixar”. Com informações de Teresa Ferreira.

Para ouvir a nova música, acesse: www.eunaovoudeixar.com.br