27 de jun de 2014

Tendencies Rock Festival terá seletiva de Bandas


Programado para acontecer no mês de setembro, em Palmas, um dos maiores festivais de rock de Tocantins, o Tendencies Rock Festival já organiza sua seletiva de bandas.

No próximo dia 05 de julho, a partir das 21h, a tradicional seletiva do Festival de música independente do Tocantins, acontecerá no Tendencies Rock Bar reunindo diversas bandas.

Para realizar sua inscrição, a banda precisa enviar foto, release, contatos, mapa de palco, links com músicas e vídeos para o e-mail do organizador (tendenciesrock@gmail.com ou tendencieseventos@gmail.com).  A entrada para acompanhar as bandas que participarão da seletiva custa R$ 10 reais, porém, os ingressos serão vendidos pelos integrantes da banda por apenas R$ 5 reais.


O FESTIVAL - Referência na cena alternativa do centro-norte brasileiro, o Tendencies Rock Festival, acontecerá no mês de setembro, promovendo o intercâmbio de artistas nacionais, além de fomentar a economia criativa local através de palestras, debates, oficinas, workshops e campanhas socioeducativas.

26 de jun de 2014

Cantor Lenine fechará Semana do Ambiente em Porto Velho


No próximo sábado (28), o Parque Circuito em Porto Velho recebe o Show Chão, do cantor Lenine. O evento aberto ao público fecha a II Semana Nós Ambiente (SENA), promovida pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema), por meio da Organização Não Governamental (ONG) Ecoporé, vencedora de um chamamento público.

Com o tema "Qual a cidade que queremos?", a SENA teve início no último dia 23. A programação conta com o apoio da Fundação Cultural e está marcada para iniciar a partir das 17h com o show do cantor regional Caribé, seguida da participação da banda Beradelia prevista para as 18h15, e por fim, fechando a noite, o cantor pernambucano Lenine, com uma expectativa de público de 1.500 pessoas.

A escolha da atração, segundo o secretário da Sema, Edjales Benício, se dá por sua atuação em defesa e proteção ao Meio Ambiente. "O cantor traz consigo um histórico de luta. Traçamos um perfil de artistas que apoiam ações do gênero. Militante na área, Lenine tem músicas que falam da Amazônia, em uma linguagem adequada para finalização de um evento deste porte", comentou Edjales.

Já o local foi selecionado em função da recente mudança na qual determinou que a secretaria passaria a administrá-lo. “Esta é uma forma que encontramos de trazer outra proposta ao parque, temos vários projetos para o espaço que precisa ser amplamente divulgado”, concluiu o responsável pela pasta.

LENINE – Conhecido nacionalmente como Lenine, o cantor Osvaldo Lenine Macedo Pimentel, é cantor, compositor, arranjador, escritor, letrista e músico brasileiro. O pernambucano ocupa a cadeira 38 como acadêmico correspondente da Academia Pernambucana de Letras. Lenine teve seu som gravado por Elba Ramalho, sendo ela a primeira cantora de sucesso nacional a gravar uma música sua. Depois vieram Fernanda Abreu, O Rappa, Milton Nascimento, Maria Rita, Maria Bethânia e outros. Trabalhou em televisão com os diretores Guel Arraes e Jorge Furtado. Para eles, fez a direção musical de "Caramuru, a Invenção do Brasil" que depois de minissérie, virou um longa-metragem. Participou também da direção do musical de "Cambaio", musical de João Falcão e Adriana Falcão, baseado em canções de Chico Buarque e Edu Lobo. Lenine ganhou dois prêmios Grammy Latino: um pelo “Melhor Álbum Pop Contemporâneo” com seu álbum "Falange Canibal"; e outro em 2009 na categoria melhor canção brasileira com a música "Martelo Bigorna". Com informações de Assessorias.


16 de jun de 2014

Arctic Monkeys tocará em São Paulo e Rio de Janeiro

Depois de tantas especulações, finalmente foi confirmado. A banda britância Arctic Monkeys fará duas apresentações no Brasil no mês de novembro. Será a primeira vez que o grupo tocará no País fora de festivais, em um show completo.

Os ingleses tocarão na Arena Anhembi, em São Paulo, no dia 14 de novembro e no HSBC Arena, no Rio de Janeiro, no dia 15 de novembro. Os britânicos também passarão pela Argentina, Chile e Colômbia. Criada em 2001, a banda considerada uma das mais influentes na cena do indie rock lançou seu primeiro álbum, “Whatever People Say I Am, That’s What I’m Not”, em 2006. Entre os prêmios recebidos estão o Mercury Prizes e o Brit Awards, além de uma indicação ao Grammy. Ainda não foram divulgadas informações sobre preços e vendas de ingresso.


5 de jun de 2014

Franz Ferdinand anuncia show no Brasil

O Franz Ferdinand vai tocar no Rio de Janeiro no dia 2 de outubro, anunciou a banda essa semana em seu perfil oficial no Facebook. A apresentação do quarteto escocês vai acontecer no Vivo Rio. “Brasil, vamos ver vocês em outubro!”, publicou a banda na página oficial. Será a sétima visita da banda para shows no Brasil.

Os ingressos inteiros custarão de R$ 360 a R$ 600. Eles já estão à venda no site www.ingressorapido.com.br. Foi na condição de coadjuvante que o Franz Ferdinand debutou no Brasil, oito anos atrás. O grupo de Alex Kapranos abria shows da turnê do U2. Apesar disso, a banda já divulgava seu segundo disco, “You could have it so much better” (2005), o do single “Do you want to”. O trabalho anterior, “Franz Ferdinand” (2004), tinha a música que rendeu ao conjunto sua melhor colocação na parada da “Billboard” – “Take me out” chegou ao 66º posto no Hot 100.

Naquela ocasião, além das apresentações para esquentar fãs do U2, o Franz Ferdinand cavou um show no qual foi a atração principal, no Circo Voador, no Rio. E foi nessa mesma condição de protagonista que o grupo voltou para a visita seguinte, meses adiante. Foram dois shows em setembro, em São Paulo e novamente no Rio.

Em seguida, vieram três anos de afastamento. Até que, em 2009, aconteceu uma apresentação numa casa noturna paulista. A partir dali, o Brasil passava a ser constante na agenda da banda. Em 2010, houve uma turnê com datas em Porto Alegre, Rio, Brasília e São Paulo. A passagem em 2012 do Franz Ferdinand ocorreu em maio, num festival paulistano de entrada gratuita que rendeu tumulto – a Polícia Militar foi chamada. O público estimado era de 20 mil pessoas. Em março de 2013, eles foram a São Paulo para o Lollapalooza e agora retornam para um show no mês de outubro.

2 de jun de 2014

Festival Casarão comemora 15 anos com edição histórica

Bruno Souto
O Festival Casarão comemorou seu “debute” nos dias 30 e 31 de maio, no Pioneiros Pub, em Porto Velho, com uma edição histórica cheia de encontros marcantes. A palavra mais perfeita que encontrei para definir os 15 anos do Festival Casarão realmente foi a de debutar, comparando a fase de uma adolescente que ao completar seus 15 anos de idade, ganha uma festa para mostrar aos amigos e familiares que não é mais criança, e sim, que começa a entrar em uma fase mais adulta, com mais responsabilidade e assim enxerguei a edição deste ano do Festival Casarão que, em um formato compacto e bem planejado trouxe artistas queridos pelo público portovelhense e arriscou outros em parcerias inéditas.

A primeira noite do Festival Casarão começou com a banda de Ariquemes Fuska 69, que fez o papel direitinho da banda que tem que abrir o Festival. “Alguém tem que passar o som para as outras bandas que vão tocar, né?”, comentou brincando o vocalista da Fuska 69, Antonio Zeferino, sobre ter sua banda abrindo o primeiro dia do Festival. Logo em seguida os acreanos da banda Os Filhos da Casa da Mãe fizeram a sua estréia no Festival Casarão, seguidos da banda da casa SexyTape que me chamou atenção pela harmonia entre os integrantes e a presença de palco do baixista Mikéias Belfort. A matogrossense Branco ou Tinto subiu ao palco fazendo o seu bom rock and roll de sempre.

Diogo Soares (Los Porongas)
Minha primeira surpresa boa da noite foi quando vi o pernambucano Bruno Souto subir ao palco com seu show romântico cheio de melodia. Em entrevista, Bruno me contou como se sentiu participando do Festival Casarão após ver dezenas de fãs do seu trabalho cantando suas composições. “Que surpresa boa eu tive. Foi um momento muito especial para mim. Eu não sabia o que esperar em Porto Velho e foi a primeira vez que eu entrei em um palco sozinho em 10 anos sem uma banda me apoiando. Foi tão bonito, as pessoas tão respeitosas, uma energia incomparável”, contou Bruno que também comentou sobre a participação do duo Nevilton e Tiago Lobão em seu show em parceria exclusiva para o Festival Casarão. “Posso afirmar que o Nevilton na bateria foi parceria inédita para o Festival Casarão. Quando eu vi que ele ia estar no evento a gente combinou de fazer esse formato e foi lindo. Valeu cada minuto essa viagem para Rondônia”, disse Bruno que contou que em breve vai estar lançando o clipe da música Aurora.


Encerrando a primeira noite do Festival Casarão, a banda tão esperada da noite Los Porongas fez um show hipnotizante. Diogo Soares com sua presença de palco mais do que reverenciada, entrou mais uma vez de corpo e alma no palco. Perguntei para o Diogo o que ele achou sobre o show e ele me falou sobre a felicidade de voltar a Porto Velho. “A gente se sente muito em casa em Porto Velho. Tocamos músicas novas e isso foi interessante. A gente nunca está sozinho em Porto Velho, nosso público é fiel e o calor do público muda até nosso repertório. Reunimos nomes de grandes amigos e grandes bandas em um festival que cumpre o seu papel no tempo com artistas que dizem alguma coisa e que mandam o seu recado. Esse tipo de evento só faz com que as coisas que a gente acredita sejam feitas”, disse Diogo que comentou sobre os planos da banda “Mudamos de cidade, mudamos um integrante e cada música, cada disco, cada mudança vai mostrando nosso caminho. Mudou muita coisa mas não mudou a energia que a gente dedica na música que a gente faz”, disse o músico.

SEGUNDA NOITE – FESTIVAL CASARÃO

Daniel Groove e Diogo Soares 
A segunda noite do Festival Casarão contou com apresentações musicais na parte externa do Pioneiros Pub com artistas locais. Não vi todas as apresentações da parte externa mas o meu destaque ficou na garota do teclado Gabrielle Junqueira que cantou Lana Del Rey e Portishead e ganhou meu coração com a suavidade da sua voz. Não posso deixar de parabenizar o Acústico Lo-Fi pela organização deste ano, em nome do Douglas Diógenes e do Rafael Viera que acompanhei a correria incansável destes dois durante a noite em busca de deixar tudo na melhor forma possível.

A banda da casa Par de Sais abriu a noite de sábado reunindo um público fiel na frente do palco, mas a noite de sábado foi lotada de surpresas (boas). A segunda banda a entrar no palco foi a Wari que era comentada por todos os lados do Festival Casarão. “Essa eu não vou perder, vou correr pra curtir lá da frente”, foi a frase que eu mais ouvia quando a banda que usa vários efeitos especiais em seu som entrou no palco. Confesso que quando comecei a ver a banda Wari e todas aquelas luzes no palco me deu vontade de beber e curtir com a galera e eu entendi porque tanta empolgação o que me deixou muito feliz por ver a qualidade em que se encontram as bandas da Capital. O vocalista Gilberto falou comigo sobre o show. “Quando a gente começou, a gente só queria fazer o tipo de som que a gente gostava. Ficamos surpresos com esse reconhecimento pois temo uma proposta diferente do que se vê aqui e ficamos felizes de ver que o público está captando nossas energias através do nosso som e imagem”, falou Gilberto.

Conhecida do público, a banda mais pesada da noite foi a Coveiros que também levou seus seguidores fiéis para o Pioneiros Pub. Em seguida os acreanos da banda Os Descordantes animou a galera do Festival com um show mais dançante e em completa harmonia.

Pela primeira vez em Porto Velho, o musico paulista Jair Naves tomou conta do palco sozinho com seu som melancólico e sua voz grave invadindo todo o local. “Que voz é essa..? ” Era a pergunta que todo mundo se fazia ao ouvir Jair Naves em seu estilo pós-punk de voz forte e melancólica. Mais uma boa banda rondoniense subiu ao palco em meio dos grandes shows esperados da noite. A banda Os Últimos, de Ariquemes, segurou as pontas com um belo show em meio aos artistas que se apresentaram na última noite do festival.

Nevilton fechou a festa dos 15 anos de Festival Casarão
Uma das tantas surpresas pra mim, pois eu não o conhecia e tinha pouca referência sobre o seu trabalho foi o cearense Daniel Groove. Acompanhado pela banda Los Porongas, Daniel Groove entrou no palco e deu um abraço de energia. Daniel é puro sentimento e amor, mas também é pura ginga. Carismático e cheio de caras e bocas, o cara é presença de palco pura. Durante o seu show – que me lembrou muito Raul Seixas – me passou pela cabeça, já pensou o Daniel Groove e o Diogo Los Porongas cantando juntos? E em um passe de mágica nossa curiosidade foi revelada quando os dois músicos se juntaram no palco e viraram um só em uma energia magnífica, sendo para mim, um dos pontos principais desta edição.

Quem achou que tinha ficado difícil para o paranaense Nevilton depois de tantas surpresas, ficar com a missão de fechar a festa de 15 anos do Festival Casarão, realmente não conhece a potencia do garoto que junto com seu parceiro Tiago Lobão, apresentou um show dançante entre músicas novas e as já conhecidas pela galera. Nevilton é alto astral, é um menino brincalhão no palco com a maturidade de um grande músico que sabe o que está fazendo, sempre com sua explosão de alegria. E com essa programação cheia de surpresas, o Festival Casarão comemorou seus 15 anos de sucesso e parcerias bem realizadas. Em breve tem uma entrevista exclusiva aqui no Blog com o Vinicius Lemos sobre os planos para o futuro, agora é só curtir as fotos da festa que em breve, estarão disponíveis no www.facebook.com/marycamatafotografia e no meu Flick www.flickr.com/maryjannejipa .