15 de ago de 2013

Tropical Lips lança clipe novo

Soft rock, new wave e música disco são as principais referências que os músicos brasileiros Rossano Snel (teclados) e Ricardo Kudla (baixo e percussão) e o artista inglês Aroop Roy (voz e guitarra) levaram na bagagem na hora de formar o grupo Tropical Lips.

A banda meio paulista, meio londrina lançou nesta quinta-feira (15/08) seu primeiro clipe, "The family", e inicia essa semana sua primeira turnê pelo país, com shows em São Paulo, Porto Alegre e Rio. O clipe, filmado em Londres e Campos do Jordão, foi escrito e dirigido por Juliana Munhoz, com fotografia de Pedro Palhares.

A banda tem três canções disponíveis no SoundCloud, mas já compôs material suficiente para um álbum completo. Agora estão conversando com gravadoras e selos na Europa e Estados Unidos. Os três se conheceram em 2012, quando Aroop veio ao Brasil pela primeira vez. "Foi um amigo em comum que nos apresentou, o Gian Paolo La Barbera. A gente (Ricardo e Rossano) já havia produzido algumas músicas juntos, sempre com convidados cantando, e resolveu convidar o Aroop pra gravar uma dessas músicas. Gostamos tanto do resultado que pensamos, por que não montar a banda nós 3? Depois de muita conversa a distância, a gente se reuniu de novo em março desse ano, quando gravamos o restante das músicas e também as imagens brasileiras do videoclipe", explicam os músicos ao site OGlobo.

Segundo eles, Campos do Jordão foi escolhida para o vídeo por ter paisagens que tem a ver com as filmadas na Inglaterra. "O vídeo representa a história da banda, com o Aroop longe, morando na Inglaterra, e a gente se encontrando, meio que por acaso, serendipidade".


*Com informações do site http://oglobo.globo.com/blogs/amplificador

6 de ago de 2013

Polysom lança em vinil “Santa Madre Cassino” do Matanza

Rápido, sarcástico, mal-humorado e, até mesmo, divertido. É assim que pode ser definido o estilo da banda carioca Matanza. Precursores do “countrycore” no Brasil, o grupo que, na época, era formado por Jimmy (voz), Donida (guitarra e banjo), China (baixo) e Nervoso (bateria), lançou seu primeiro álbum, “Santa Madre Cassino” (Deck) em 2001. Esse ano a Polysom traz esse clássico do hardcore nacional em vinil.

As 14 músicas do disco são de autoria de Donida e narram uma história que se assemelha a um filme do Quentin Tarantino; com muito álcool, tiroteios, mulheres pistoleiras, bandidos tatuados, carrões e caminhões envenenados. Estão no álbum sucessos como “Ela Roubou Meu Caminhão”, “Rio de Whisky” e “Tombstone City”. O Matanza contou com a participação de Rick Ferreira (banjo, steel guitar e dobro na faixa-título e em “Ye Ole Bluegrass Assassinate”), Tavinho (e-bow guitar em “Mesa de Saloon”) e Eduardo Vila Maior (baixo-acústico em “Ye Ole Bluegrass Assassinate”).

Desde o primeiro álbum e até os dias de hoje, as ilustrações e projeto gráfico dos discos são assinados por Donida, que adaptou a capa do cd “Santa Madre Cassino” para o disco de vinil. O lançamento está previsto para agosto. com informações da Assessoria.

“Mundo Livre S.A. VS Nação Zumbi”

A gravadora Deck traz esse ano uma nova “batalha musical”. Depois do “duelo” entre Raimundos e Ultraje a Rigor, este mês chega às prateleiras um novo encontro inédito em disco: “Mundo Livre S.A. vs Nação Zumbi”. São os dois maiores nomes do "manguebeat" interpretando, cada um, sete dos maiores sucessos do outro.

No repertório, estão sucessos como “Meu Maracatu Pesa Uma Tonelada” e “A Praieira”, da Nação Zumbi, e “Musa da Ilha Grande” e “Bolo de Ameixa”, do Mundo Livre S.A.. A parte da Nação Zumbi foi produzida pela própria banda e gravada no estúdio El Rocha (SP), e as vozes no estúdio Fine Tunning (SP). As músicas do Mundo Livre S.A. foram produzidas, gravadas e mixadas pelo tecladista do grupo, Leo D, no estúdio Mr. Mouse (PE). A pré-venda do álbum no iTunes teve início no dia 30 de julho. Com informações da Assessoria.