9 de ago de 2018

Pronto. Decidi voltar para o meu rock

Genteee, quanto tempo sem escrever aqui neste meu espacinho tão underground! Que saudade! Para quem não sabe ou conhece só a Mary Camata blogueira, eu como jornalista e fotógrafa, já fotografei e resenhei muitos shows de rock pelo Brasil a fora. Comecei em Rondônia mesmo – estado que eu morava – e que na época ainda tinha alguns festivais de rock pra gente se divertir.

Tive o prazer de ir para Tocantins conhecer o lendário Tendencies Rock Festival do amigo e produtor André Porkão, onde vivi novas histórias para o caderninho. Depois fui para o Rock in Rio viver o sonho de pisar naquela cidade e ouvir o hino do RIR tocar na alma. Foram incontáveis shows até aqui e, apesar de ainda achar que eu não vi quase nada, eu sempre era a única mulher jornalista e apaixonada pelo rock a estar lá “no meio da galera e das bandas”. Conheci muitas bandas, jornalistas, críticos, produtores e sempre que sentia aquele gostinho do rock na veia, mais eu queria consumir desse vício.

Com as mudanças da vida e os novos projetos – Mudei para Maceió (AL) e criei a Revista Ponto M – A primeira revista escrita por blogueiras no Brasil - acabei dando uma grande pausa neste trabalho que eu amo tanto. Muita gente me cobrou, me pediu, me mandou mensagem, e-mails e pedidos para voltar a falar sobre rock, pois o rock não pode morrer e muito menos o meu blog.

O Blog A La Maryjanne nasceu em 2007 ainda quando eu estava na faculdade e de lá pra cá, já se passaram mais de 10 anos. A minha idéia sempre foi dar a oportunidade para novas bandas de rock que surgem no Brasil, fazer minhas resenhas de festivais e shows, além das entrevistas com bandas nacionais como Raimundos, Detonautas, Matanza, Scalene, Supercombo, entre outras bandas.


Atualmente, passando uma temporada em São Paulo, venho anunciar que o blog está de volta sem grandes sonhos, apenas como uma forma de voltar ao mundo do bom e viciante rock and roll.

Após 22 anos, Banda Matanza anuncia fim

O fim da banda carioca Matanza foi anunciado recentemente em um comunicado postado nas redes sociais do quinteto liderado pelo vocalista Jimmy London. Contudo, por trás do tom polido do anúncio, dá para sentir que o fim da banda de countrycore formada em 1996 na cidade do Rio de Janeiro (RJ) foi motivado por incompatibilidades, talvez não exatamente de gênios, mas de expectativas e anseios dissonantes entre London, Dony Don Escobar (baixo), Jonas Cáffaro (bateria), Marco Donida (guitarra) e Maurício Nogueira (guitarra).

Após 22 anos em cena, em trajetória que será encerrada em outubro deste ano de 2018, a banda Matanza chega ao fim porque as necessidades artísticas dos integrantes já são divergentes e imperiosas. A separação pode ter sido decidida com civilidade e de comum acordo, como sugere o comunicado, mas o fim parece ter sido motivado pelas mesmas razões que geram términos definitivos ou recessos por tempos indeterminados de bandas em todo o mundo. Nesse sentido, os motivos que levaram a banda Matanza a se separar parecem ser essencialmente os mesmos que provocaram o fim recente do grupo carioca O Rappa.

Em bom português, além do desgaste da convivência entre os integrantes das bandas, há as incompatibilidades artísticas. Cada integrante tem um desejo artístico, um anseio particular. São "questões pessoais", para usar termo usado no comunicado, que nem sempre podem ser resolvidas em um ambiente coletivo como o de uma banda. Eis o comunicado em que o Matanza anuncia o fim da banda que misturou country e hardcore em universo musical embebido em cerveja:

"A banda encerrará suas atividades no final de outubro. Por quê? Porque foram 22 anos de trabalho ininterruptos, em que o Matanza foi uma prioridade absoluta em nossas vidas. Só temos a agradecer ao destino pela oportunidade de fazer música e levá-la aos quatro cantos do nosso país. Temos muito orgulho dos amigos que fizemos e das parcerias que consolidamos, que tanto nos deram alegrias como nos fortaleceram.
Mas estamos finalizando os trabalhos com o Matanza justamente para que possamos ver e fazer as coisas de um jeito diferente. Existem questões pessoais que precisam ser atendidas, possibilidades profissionais que precisam ser contempladas e necessidades artísticas que nos levam à caminhos distintos. Por isso, não há mágoa nem tristeza nessa resolução mas, sim, um grande entusiasmo pelo que está por vir. É importante dizer que todos os shows que estão marcados serão cumpridos normalmente”, encerra. Com informações do G1.


23 de mar de 2018

Tudo que você queria saber sobre o Lollapalooza 2018

Red Hot Chili Peppers
Começou neste final de semana a 7ª edição do Lollapalooza no Brasil que acontece no Autódromo de Interlagos, local que abriga o evento desde 2014. A organização espera um público superior ao de 2017, ocasião em que 190 mil pessoas acompanharam os dois dias do evento. O Lolla acontece nesta sexta (23/03), sábado (24/03) e domingo (25/03).

A estrutura de Interlagos conta com quatro palcos (Budweiser, Onix, Axe e Perry's by Doritos) para receber as mais de 70 atrações programadas para esta edição, com destaques para Pearl Jam, Red Hot Chili Peppers, Imagine Dragons, LCD SoudSystem, The Killers e Alok. Na sexta (23), o Red Hot Chili Peppers tocou no mesmo horário de Alok, principal destaque do Brasil atualmente no cenário da música eletrônica.

No sábado (24), outro embate entre rock e música eletrônica: Pearl Jam x DJ Snake e, no domingo (25), as atrações que tocarão ao mesmo tempo serão Wiz Khalifa e The Killers. Cerca de 300 mil pessoas são esperadas para encher as vias do Autódromo de Interlagos para o Lollapalooza 2018.

Se você vai de carro, as vagas para estacionar dentro do autódromo devem ser reservadas com 48 horas de antecedência. O valor é de R$ 120 reais por carro. Há também vagas para microonibus. Caso você vá de táxi, na chegada, é possível descer próximo aos portões D, M, 7 e 8. Para a volta para a casa, serão montados pontos especiais de táxi nesses portões. O ponto de encontro do Uber acontece na Praça Enzo Ferrari, na Avenida Interlagos. O local fica próximo aos portões 7 e 8. Na volta, assistentes estarão organizando a saída para encontrar os motoristas.

Se você for de trem, a estação mais próxima ao local é a Autódromo, na Linha 9-Esmeralda. A entrada mais próxima é o portão 9. Caso você vá de ônibus, são diversas as linhas disponíveis e é possível localizá-las no site da SPTrans. Além das linhas noturnas, haverá uma linha especial de ônibus com destino ao Terminal Santo Amaro, localizado na Avenida Jacinto Júlio (próximo ao portão 9), que funcionará das 21h à 1h na sexta e sábado e, das 20h à 0h, no domingo.

Lolla Transfer - As idas e voltas estão marcadas para os hoteis Hilton Morumbi (Avenida das Nações Unidas, 12901) e no Transamérica Higienopolis (Rua Alagoas, 974). A ida será organizada entre 11h e 19h, com intervalos a cada trinta minutos. A volta, das 20h30 até as 0h30 na sexta e no sábado e até as 23h30, no domingo. O valor do serviço é de R$ 100 reais por dia. Com informações da Assessoria e do site Veja SP.



21 de set de 2017

Rock in Rio chega ao 2º final de semana com Aerosmith, Guns e The Who

Foto: Leandro Couri/EM/D.A Press

O Rock in Rio volta à Cidade do Rock – após sua primeira semana pop -  para mais quatro dias de festival: 21, 22, 23 e 24 de setembro. Diferentemente do primeiro final de semana, desta vez o gênero musical que dá as caras é o rock and roll. Entre as atrações principais está a banda Aerosmith. A banda é estreante no festival carioca e se apresenta no Palco Mundo nesta quinta-feira, 21. Ao lado deles, entram em cena Def Leppard, Alice Cooper, Fall Out Boy e os brasilienses da Scalene, banda revelada pelo reality show Superstar, da Globo. 

Além do grupo comandado por Steven Tyler, o Rock in Rio também escalou outras bandas clássicas do gênero, como é o caso de Bon Jovi, principal atração da sexta-feira, 22, e da dobradinha Guns N' Roses e The Who, que tomam conta do Palco Mundo na noite deste sábado, 23. Bandas como Tears For Fears, Alter Bridge e Incubus, completam a programação.

O último dia de evento, domingo, 24, será comandado pelo retorno dos Red Hot Chilli Peppers, banda que já se apresentou no festival duas vezes, em 2001 e em 2011. Thirty Seconds to Mars, The Offspring e Capital Inicial também são as atrações de despedida da Cidade do Rock, que só deve ter sua próxima edição em 2019. 

Encontros
Famoso por promover encontros entre artistas de diferentes estilos e backgrounds, o Palco Sunset também segue com sua programação no segundo final de semana do Rock in Rio. Entre os destaques está o show do roqueiro Alice Cooper com o psicodélico e extravagante Arthur Brown que se apresentou nesta quinta-feira levando a galera ao delírio. O palco também promove a mistura de Ney Matogrosso com Nação Zumbi, a Baiana System com Titica, Bomba Estéreo com Karol Conka, e Doctor Pheabes com Supla. 

Entre as bandas que se apresentam sozinhas estão os inéditos The Kills, Ego Kill Talent e Republica. Uma das principais representantes do metal brasileiro, a banda Sepultura será responsável por encerrar o Sunset com show no domingo, 24. 



9 de jun de 2016

Sem apoio e sem patrocínio, 13º edição de Tendencies Rock Festival começa nesta sexta

A banda Moxine (SP) é atração do primeiro dia do evento
Nesta sexta-feira (10/06), começa a 13ª edição do Tendencies Rock Festival, na capital de Tocantins, em Palmas. Ah que saudade deste festival querido! Com uma programação que sempre mistura bandas tocantinenses que estão começando, com grupos já consagrados de diferentes estados brasileiros, o Festival vai acontecer durante dois fins de semana e promete movimentar a capital de Tocantins em quatro dias de shows dos mais diferentes gêneros e sub-gêneros musicais. Eu que já tive a oportunidade de acompanhar duas edições do Tendencies Rock Festival, sou uma admiradora do trabalho realizado pelo idealizador do evento, André Porkão.

Vinte e duas bandas vão subir ao palco do festival nesta edição. Com uma programação super diversificada, o Tendencies Rock desse ano traz um line-up composto por indie, rock, disco, blues e hardcore. Pra essa edição, o festival promove o intercâmbio de músicos brasileiros e internacionais, abrindo espaço para novas tendências sonoras, possibilitando que os artistas daqui possam dialogar com artistas mais experientes.

Para começar, cinco bandas se apresentam no evento na sexta-feira. A noite conta com uma programação dominada pelos tocantinenses, em uma sequência de quatro apresentações com grupos locais, Bonovo (TO), Scott (TO), Toca Blues (TO) e Wizened Tree (TO). Pra fechar, os paulistas do Moxine, com mais de oito anos de estrada, retornam a Palmas pra mandar seu disco rock pro público do evento. A banda é comandada por Mônica Agena que também é backing vocal da banda Natiruts.

No sábado, a noite começa com o show do grupo Four Fones (TO) e segue com Diamente (TO), Ivan Marcio feat. Martin Burguez (SP/ARG), The Gallo Power (GO) e termina com o blues experiente e bem executado da Igor Prado Band (SP).


Na próxima sexta, 17/06, o Tendencies continua com mais música. No segundo fim de semana, a programação segue com os shows das bandas STF (TO), ETNO (DF), A Orden S/A (TO), Rocan (DF) e Trampa (DF). Para encerrar a noite mais pesada do festival, o último dia, 18, começa com apresentação dos tocantinenses da Agorah, e segue com os grupos Autocracia (TO), Indogma (TO), Girlie Hell (GO), Escarnnia (TO) e finaliza com os paulistanos e hardcores da DPR.

Sem apoio, a 13ª edição do evento está acontecendo sem a ajuda de entidades públicas ou privadas. O organizador do Festival, falou sobre as dificuldades de se fazer um evento sem patrocínio. “Já que a situação está difícil, optei por fazer o evento desse ano gratuito. A ideia é lotar o espaço, fazer bonito e mostrar o quanto é bacana promover o som autoral, independente e variado”, conta o idealizador. A organização lembra que o festival começa todos os dias, pontualmente, às 21h45.

Ingressos gratuitos
Na última quarta-feira (1º/06), o público pode retirar seu ingresso de graça no Tendencies Music Bar. Antecipadamente a organização entregou 75 ingressos para cada dia de evento. A partir de agora, quem quiser comparecer a 13ª edição do Tendencies pode retirar seu ingresso gratuitamente até às 18h de cada dia do festival. A entrada pode ser trocada por 1kg de arroz, feijão ou um litro de óleo. Quem não retirar o ingresso com a troca do alimento, na hora do evento, terá que pagar na bilheteria do local. “Se a galera se programar, dá pra ir a todos os dias do festival gratuitamente, sem pagar nada e ainda dá pra contribuir com instituições de caridade”, finalizou André. Com informações da Assessoria.  



8 de jun de 2016

Banda Scalene se apresenta em Porto Velho neste sábado

Foto: Divulgação/GSHOW
(Por Mary Camata) O Circuito SOMA, traz para sua décima edição, uma das bandas mais comentadas no atual cenário do rock nacional. Do Distrito Federal para o Brasil, a Banda Scalene, que foi finalista do Programa SuperStar da Rede Globo, estará se apresentando no próximo sábado (11/06), no Zé Beer,  na capital Porto Velho.

Conheci a banda Scalene durante o Tendencies Rock Festival, festival de rock do amigo André Porkão que acontece todo ano em Palmas, Tocantins. André Porkão é uma das figuras mais emblemática dos eventos de rock e ele sabe o que é bom. Me lembro dele falando: “Mary, presta atenção nessa banda que vai tocar agora, eles não são só bonitos não, eles são bons”, dizia André Porkão no ano de 2014, quando a banda Scalene ainda nem sonhava estar fazendo esse sucesso triplicado de lá para cá.

Os meninos da Scalene divulgam atualmente o segundo álbum da banda, intitulado Éter, que possui composições na mesma linha do disco anterior Real/Surreal, mas com letras e sonoridades mais elaboradas e sublimes. Perguntei para os meninos sobre a expectativa de tocarem pela primeira vez em Rondônia. “Estamos muito empolgados e curiosos. Não sabemos o que esperar, apesar de estarmos ligados que tem uma galera daí que conhece a gente. Vai ser demais”, disseram.

De acordo com informações dos organizadores dos eventos do Circuito SOMA, os ingressos estão a venda na loja Rommanel, na Barbearia Dom Casmurro (Av. Campos Sales, 3292), na Jr. Sun (Centro e Shopping) e na Maria Chica (Av. Jatuarana). O evento é organizado pelo Mosh! Crew e Nobody Produções em parceria com a empresa Rommanel.


6 de mai de 2016

Kid Abelha anuncia fim da banda

Por Mary Camata

Pra quem ainda não sabe, a banda Kid Abelha anunciou no final do mês de abril o fim do grupo após mais de três décadas de carreira. Formada por Paula Toller, George Israel e Bruno Fortunato, o grupo criou grandes hits como “Como eu quero”, “Fixação”, “Lágrimas e Chuva”, “Nada sei” e "Pintura íntima", músicas que fizeram parte da adolescência de muitos de nós.

Formado nos anos 1980, o Kid Abelha gravou no total 16 discos e suas músicas sempre são tocadas por outras bandas. Em entrevista ao site O Dia, a cantora Paula Toller relembrou a trajetória do grupo e afirmou que a banda que durou 30 anos terminou por sua decisão. Ao ser questionada sobre o futuro do grupo, a cantora afirmou que o Kid Abelha acabou. "Acabou carreira de show, disco. Foi uma decisão minha, difícil, demorada, mas teve uma hora em que eu não sentia mais o espírito de grupo", declarou ela, que ainda acrescentou: "Já estava desestimulada de lançar coisas novas. Mas foi muito bom enquanto durou".

Eu seu perfil do Facebook, Paula falou que tiveram um final suave, evitando o sensacionalismo, com a convicção de que a trajetória vitoriosa sempre se deveu ao entusiasmo e dedicação sempre renovados a cada disco. “A vontade de experimentar outras formas de criar e o desgaste natural de tanto tempo juntos nos levaram a essa decisão”, continuou.

Os membros da banda já alardeavam o fim da banda, mas ainda não haviam feito um pronunciamento oficial. “Foram três décadas de sucesso, aventuras, amizade, e também de momentos difíceis, altos e baixos dessa carreira desafiadora que escolhemos. Pela nossa filosofia e pelo amor à música, nunca tivemos o dinheiro como norte, e sim como consequência (ou não) de um trabalho original e bem realizado, que se tornou paradigma de pop-rock brasileiro”, finalizou.


Aerosmith confirma shows no Brasil em outubro

A banda americana Aerosmith confirmou que fará shows no Brasil em outubro. A turnê Rock n' Roll Rumble - Aerosmith Style 2016 passará por Porto Alegre (Estádio Beira Rio), no dia 11 de outubro, São Paulo (Allianz Parque), no dia 15, e Recife (Classic Hall), dia 21.

Para quem não quer perder o show, o aviso é de que acabaram os ingressos para o show em Porto Alegre. Em quatro dias, os fãs adquiriram todos os bilhetes de arquibancada, plateia e pista premium. A  venda começou na última segunda (2), apenas para membros do fã-clube. Na terça (3), abriu para o público geral. Na quinta (5), a organização do evento informou que todas as entradas foram adquiridas.

Esta vai ser a sexta passagem do Aerosmith pelo Brasil. A primeira visita aconteceu em 1994. Depois, o grupo voltou em 2007, 2010, 2011 e 2013. Em Porto Alegre, será o segundo show. Em 2010, a banda tocou no Estacionamento da Fiergs, em maio, para um público de cerca de 15 mil pessoas.


As entradas custam entre R$ 130 (meia-entrada para cadeira superior) e R$ 680 (inteira para pista premium) e podem ser adquiridas nas bilheterias oficiais (sem taxa de conveniência), nos pontos de venda e no site ingressorapido.com.br.

Planet Hemp, Autoramas e MC's HC fazem show beneficente

Quinta-feira foi dia de rock e amor no Circo Voador, no Rio de Janeiro. A edição carioca do HARDCUORE FEST, evento em prol do tratamento de coração da estilista Layana Thomaz, juntou na mesma noite shows dos Autoramas, Mc´s HC e Planet Hemp, além de e Marcelinho da Lua no som.

Em meio a uma turnê de reunião com shows concorridos pelo país, Planet Hemp e Autoramas abriram mão de cachê para se apresentem na casa da Lapa ("o melhor lugar para ver o Planet Hemp em todo o Brasil", segundo BNegão) com o objetivo de arrecadar fundos para a estilista Layana Thomaz, que passa por um caro tratamento cardíaco.

Batizado de Hardcuore Fest, o evento contou com show da banda Autoramas — cujo vocalista, Gabriel Thomaz, é irmão de Layana —, que apresenta seu mais recente trabalho, o elogiado álbum "O futuro dos Autoramas", lançado em abril, e com o retorno dos MC's HC. Precursores do subgênero miami rock — um híbrido de hip hop, hardcore e metal —, o grupo formado no bairro carioca de Irajá se destacava na década de 1990 por shows extravagantes, pelo figurino inspirado nos personagens do seriado "Chaves" e por seu som pesado. Nos intervalos, o cultuado DJ Marcelinho da Lua mantém o clima festivo.

No Circo Voador, o Hardcuore fez sua segunda edição. Na primeira, realizada em São Paulo, em novembro passado, juntou Dinho Ouro Preto (do Capital Inicial), Edgard Scandurra (Ira!), Edu K (Defalla), Ultraje a Rigor, Badauí (CPM 22), Lucas Silveira (Fresno), NX Zero, Cachorro Grande, entre outros. Com informações do site OGlobo.

11 de mar de 2016

Festival Abril Pro Rock divulga atrações de sua 24ª edição

Saiu a programação oficial do Festival Abril Pro Rock 2016. Na 24ª edição, o evento ocorrerá nos dias 29 e 30, no Baile Perfumado, não Prado,  Zona Oeste do Recife, e no Classic Hall, em Olinda, na Região Metropolitana.

O festival começa sexta-feira (29), no Baile Perfumado. No palco, a nova música brasileira dos anos 2010: Alice Caymmi, Tiê, Filipe Catto, Graxa, Jéf, além de dois nomes do interior pernambucano: Em Canto e Poesia e Pierre Tenório, de São José do Egito, e Belo Jardim, respectivamente. A noite também conta com a apresentação da banda Os Transtornados do Ritmo Antigo.

O sábado (30) terá a tradicional noite do heavy metal. Subirão aos palcos do Classic Hall  três atrações internacionais; Malevolent Creation (EUA), Warrel Dane (EUA) e Evil Invaders (Bélgica). Bandas consagradas da cena brasileira também se apresentam: Viper e Korzus.  Nesta mesma noite, Robertinho do Recife mostra músicas do seu clássico disco “Metalmania”.

FESTIVAL - O Abril Pro Rock é um dos festivais independentes mais relevantes do País por sempre reunir jovens artistas e bandas novas ao lado de clássicos e expoentes de uma nova música produzida no Brasil. “Nunca perdemos a característica de apostar nos novos, tanto nos que adquiriram projeção nos últimos anos, quanto nas apostas anuais do próprio Festival, como por exemplo: Johnny Hooker, Barbara Eugênia, Tulipa Ruiz, Marcelo Jeneci, Felipe Cordeiro, Karina Buhr, Daniel Groove, Almério e muitos outros”, destaca Paulo André Pires, idealizador do Festival.


Além dos dois dias de shows, o festival apresenta uma ampla programação paralela, a exemplo da Mostra Pôster Arte Design na sua quinta edição, que vai ocupar o Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM), e a 7ª edição das Oficinas de Formação. Os ingressos custam R$ 35 (meia), R$ 45  +  1kg  de  alimento  não  perecível (social)  e R$ 70. Com informações do G1.