2 de jun de 2014

Festival Casarão comemora 15 anos com edição histórica

Bruno Souto
O Festival Casarão comemorou seu “debute” nos dias 30 e 31 de maio, no Pioneiros Pub, em Porto Velho, com uma edição histórica cheia de encontros marcantes. A palavra mais perfeita que encontrei para definir os 15 anos do Festival Casarão realmente foi a de debutar, comparando a fase de uma adolescente que ao completar seus 15 anos de idade, ganha uma festa para mostrar aos amigos e familiares que não é mais criança, e sim, que começa a entrar em uma fase mais adulta, com mais responsabilidade e assim enxerguei a edição deste ano do Festival Casarão que, em um formato compacto e bem planejado trouxe artistas queridos pelo público portovelhense e arriscou outros em parcerias inéditas.

A primeira noite do Festival Casarão começou com a banda de Ariquemes Fuska 69, que fez o papel direitinho da banda que tem que abrir o Festival. “Alguém tem que passar o som para as outras bandas que vão tocar, né?”, comentou brincando o vocalista da Fuska 69, Antonio Zeferino, sobre ter sua banda abrindo o primeiro dia do Festival. Logo em seguida os acreanos da banda Os Filhos da Casa da Mãe fizeram a sua estréia no Festival Casarão, seguidos da banda da casa SexyTape que me chamou atenção pela harmonia entre os integrantes e a presença de palco do baixista Mikéias Belfort. A matogrossense Branco ou Tinto subiu ao palco fazendo o seu bom rock and roll de sempre.

Diogo Soares (Los Porongas)
Minha primeira surpresa boa da noite foi quando vi o pernambucano Bruno Souto subir ao palco com seu show romântico cheio de melodia. Em entrevista, Bruno me contou como se sentiu participando do Festival Casarão após ver dezenas de fãs do seu trabalho cantando suas composições. “Que surpresa boa eu tive. Foi um momento muito especial para mim. Eu não sabia o que esperar em Porto Velho e foi a primeira vez que eu entrei em um palco sozinho em 10 anos sem uma banda me apoiando. Foi tão bonito, as pessoas tão respeitosas, uma energia incomparável”, contou Bruno que também comentou sobre a participação do duo Nevilton e Tiago Lobão em seu show em parceria exclusiva para o Festival Casarão. “Posso afirmar que o Nevilton na bateria foi parceria inédita para o Festival Casarão. Quando eu vi que ele ia estar no evento a gente combinou de fazer esse formato e foi lindo. Valeu cada minuto essa viagem para Rondônia”, disse Bruno que contou que em breve vai estar lançando o clipe da música Aurora.


Encerrando a primeira noite do Festival Casarão, a banda tão esperada da noite Los Porongas fez um show hipnotizante. Diogo Soares com sua presença de palco mais do que reverenciada, entrou mais uma vez de corpo e alma no palco. Perguntei para o Diogo o que ele achou sobre o show e ele me falou sobre a felicidade de voltar a Porto Velho. “A gente se sente muito em casa em Porto Velho. Tocamos músicas novas e isso foi interessante. A gente nunca está sozinho em Porto Velho, nosso público é fiel e o calor do público muda até nosso repertório. Reunimos nomes de grandes amigos e grandes bandas em um festival que cumpre o seu papel no tempo com artistas que dizem alguma coisa e que mandam o seu recado. Esse tipo de evento só faz com que as coisas que a gente acredita sejam feitas”, disse Diogo que comentou sobre os planos da banda “Mudamos de cidade, mudamos um integrante e cada música, cada disco, cada mudança vai mostrando nosso caminho. Mudou muita coisa mas não mudou a energia que a gente dedica na música que a gente faz”, disse o músico.

Nenhum comentário: