27 de out de 2008

MACHADO ROCK FESTIVAL – A PRODUÇÃO


Bom, não é a primeira vez que eu participo de um festival, mais que eu fico a frente de uma organização com um tamanho peso nas costas é. Só quem organiza um festival sabe o quanto ele pesa. Si der certo ou si der errado sempre vai ter gente pra reclamar. To até tranqüila porque quando me chamaram pra fazer parte da produção do Machado Rock Festival eu fiquei com um medinho de dividir essa responsabilidade com uma equipe que tem que dar tudo de si, por que Festival de Rock não se faz com uma pessoa, com um amigo, si faz com um grande grupo formado por amigos, por público, por bandas, por pessoas desconhecidas, por problemas a serem resolvidos, por horas sem dormir, por dias de preocupação, por suspiro de dever cumprido quando dá tudo certo.
O nosso festival não era um festival de rock para milhares de pessoas, apesar dele ter tomado uma proporção maior do que a que a gente esperava, o nosso intuito não era abraçar o mundo de uma vez só, e sim começar pela cidade que a gente mora, Ji-Paraná por estar ao nosso alcance, ao nosso contato, e foi o que nos provou que não é só no Rio de Janeiro ou em São Paulo que temos bandas boas que batalham por um lugar ao sol, aqui mesmo do nosso lado tem bandas que ensaiam, que lutam e que sonham em ter seu trabalho reconhecido.
Pra quem não sabe, não foram só três dias de exaustivo trabalho, foram mais de 30 dias (o que ainda é pouco) de planejamento pra conseguir realizar um Festival de rock que agradasse não só a gente da produção, mais ao nosso público e as nossas bandas (mesmo sabendo que não conseguimos agradar a todos).
Não realizamos o Machado Rock Festival por dinheiro, por ambição ou por status, realizamos simplesmente por amor. Amor aos amigos, amor pela música, amor pelo rock, amor por um ideal, amor por um sonho. Foi pequeno mais pra mim .... foi enorme. Aprendi com cada uma das bandas que eu vi passar pelo palco do Machado Rock Festival durante esses três dias. Si não fossem as bandas ajudando um aos outros no palco, a compreensão do público em ficar até a última banda se apresentar, a paciência dos jurados em analisar todos as músicas apresentadas, o locutor segurar cada minuto de apresentação, os seguranças, a policia, a Fundação Cultural e os sobreviventes da Comissão Organizadora que resistiram até o final do festival que na verdade se fortaleceu durante o festival, o Machado Rock Festival não teria existido.

Nenhum comentário: