6 de mar de 2013

É uma pena, Chorão

Quem não levou um susto na manhã desta quarta-feira, 6 de março de 2013, quando leu em todos os sites de notícias do Brasil que o ‘marrento’ vocalista de uma das bandas de rock mais famosa da década de 90, foi encontrado morto em seu apartamento.

O polêmico Chorão conhecido também por suas desavenças e brigas, era vocalista da banda santista Charlie Brown Jr, conhecida pela mistura do hardcore com o rock, o reggae e o rap. A banda Charlie Brown Jr sempre foi conhecida por suas letras de protesto e críticas a sociedade na perspectiva dos jovens. Chorão sempre foi conhecido por ser um cara polêmico e por ser apaixonado pelo skate. Muita gente criticava as letras de autoria do Chorão que sempre vinham carregadas de revolta e protesto, porém, muitas vezes falando de amor e paixão não correspondida.

A banda Charlie Brown Jr conseguiu emplacar 10 discos, venderam mais de cinco milhões de Cds e Dvds, tiveram músicas em trilhas de novelas e mesmo assim, chegou um momento em que a banda simplesmente foi esquecida pela mídia. Mesmo com CD gravado em 2011, as brigas constantes entre os integrantes da banda e a falta de estímulo de Chorão já não emplacava mais sucessos na mídia.

Não tem como negar que Chorão foi uma figura importante na cena do rock dos Anos 90, pregando em suas letras as revoltas que viveu durante uma infância difícil e sofrida. Chorão cresceu na pobreza e depois conheceu o caminho da fama, do dinheiro e das drogas mas não conseguiu sobreviver aos holofotes da mídia ficando um bom tempo sem aparecer em revistas e programas de TV.

Hoje a mídia trouxe de volta um Chorão esquecido, relembrando seus sucessos, colocando em evidência os clipes mais famosos e trechos das letras de músicas - pouco conhecida pela galera jovem - mas que fez parte da adolescência de vários adultos dos dias de hoje. É uma pena Chorão que a mídia esperou te esquecer primeiro, para poder lembrar de ti depois que você se foi.

Como chorão dizia em uma de suas músicas, “Livre pra poder sorrir, livre pra poder buscar o “seu” lugar ao Sol...”, Vá em paz, Chorão.

*Mary Camata é fotógrafa e jornalista.

Um comentário:

Wellington de Souza Andrade disse...

Cresci escutando as músicas do Chorão... Eu assim como todos da minha "época" ainda estamos abalados com tamanha perca. =/

Bela homenagem @Mary