3 de abr de 2012

Grito Rock Ji-Paraná – Estrutura x Banda


Não poderia deixar de escrever sobre a edição do Grito Rock 2012 que aconteceu no último final de semana, em Ji-Paraná (RO). Em um local não muito aconchegante como o Ginásio de Esportes Gerivaldão, os organizadores do Coletivo Interior Alternativo conseguiram dar uma boa cara ao evento. Na verdade foi a primeira vez que estive em um evento no Gerivaldão onde a estrutura de palco, som e iluminação ficaram evidentemente muito melhor do que as atrações musicais selecionadas.

Acho que Ji-Paraná é uma das cidades de Rondônia mais carentes de rock. Em pouco tempo e mesmo com atrasos e bandas que faltaram ao evento, o público bastante jovem lotou o espaço do Festival com suas camisetas de banda. Com uma programação bem diversificada que contava com atrações musicais, artesanato, exposição de fotos e manobras de skate e bike, o Grito Rock atraiu um grande público.
A abertura do Festival contou com a participação mais que especial da Orquestra em Ação que montou um rico repertório de nomes consagrados do rock, fazendo uma belíssima entrada com a ajuda do animado roqueiro – apresentador do Festival - e professor de Física, Marconi “Pacman”.

A primeira banda da noite a se apresentar no palco do Grito Rock foi a novata Mediatriz que sem dúvida nenhuma foi a banda preferida da galera. Com jovens integrantes que já passaram por várias bandas da cidade que não decolaram, o repertório com música própria e covers de Raimundos à Slipknot, os meninos da Mediatriz acordaram os roqueiros que lotavam o Ginásio.

O som (muito) pesado da Banda Spittfire segurou os roqueiros mais animados e afastou um pouco o público mais velho que acompanhava o Festival. A 3ª banda da noite Eclipse Final segurou o público com o seu metal gospel mesmo tendo contratempos em cima do palco com a entrada de um sujeito totalmente embriagado que invadiu a apresentação da banda e empurrou o vocalista de cima do palco que logo depois retornou terminando seu show com estilo.

Duas bandas aguardadas pelo público a lendária Di Marco e a cacoalense Cidadãos Anônimos não compareceram ao Festival, adiantando a última banda da noite a subir ao palco. A portovelhense Kali e os Calhordas fechou a noite do Grito Rock com um vocal feminino suave e músicas mais calmas. O Grito Rock seguiu ainda no domingo (1º) com um círculo de discussões com o tema “Articulação Cultural em Ji-Paraná e Rondônia. E assim encerrou mais uma edição do Grito Rock em Ji-Paraná onde a estrutura muito bem organizada reinou sobre a escolha das bandas.




*Fotos e texto por Mary Camata

Nenhum comentário: