14 de ago de 2011

Festival Poraquê – 1ª Edição


A Banda Macaco Bong (MT) é destaque do Festival Poraquê que acontece em Ji-Paraná (RO)


Por Mary Camata

Aconteceu neste sábado (13), o primeiro dia do Festival Poraquê, em Ji-Paraná.  Palco bacana e boa estrutura de som em um lugar que eu particularmente não gosto muito, que é o ginásio de esporte Gerivaldão. O primeiro dia do Festival Poraquê começou bem frio, apesar da temperatura quentíssima, a galera ji-paranaense que a um bom tempo estava sem um festival de rock na cidade, sem muita empolgação,começou a chegar ao evento umas duas horas após o horário marcado para começar.

A primeira banda da noite, a banda do município de Jaru Maria Joana, não compareceu ao Festival. A segunda banda da noite Illinois, de Ji-Paraná, fez a abertura do Festival marcada por covers de Marilyn Manson, Ozzy e Guns, sem mostrar nenhuma novidade. Ao contrario da terceira banda da noite da cidade de Vilhena, Sub Pop,que eu ainda não conhecia, apresentou músicas próprias com direito a tecladista e saxofonista que dá todo o charme as melodias da banda. Ariquemes também teve o seu representante com o músico Marcos Biesek e ressaca moral mostrando um som que começou a empolgar a galera que chegava timidamente ao Ginásio.

Enquanto rolava o som no palco do Poraquê, tatuadores tatuavam em um canto do ginásio tomado de curiosos acompanhando a arte sendo feita na pele dos corajosos. Foi ai que eu ouvi o toque do DJ e vi que o rapper do Mato Grosso Linha Dura começava a passar sua mensagem no Festival, que, diga-se de passagem, ambos em perfeita sincronia. Linha Dura conseguiu fazer um show melhor do que eu imaginava e fez valer a mistura de rap e hip hop no meio de um Festival de Rock.

 Ao meio de figuras exóticas e psicodélicas, a banda queridinha de Ji-Paraná Di Marco, subiu ao palco com seu repertório próprio já conhecido pela galera e agradou a muita gente que estava presente. Mas a banda mais espera da noite, claro, foi à última a subir no palco. Os meninos da Macaco Bong ainda eram novidade para alguns, porém, outras pessoas me confidenciaram que estavam ali somente para conferir o som do trio. Impossível não destacar o show de guitarra de Bruno Kayapy. É a terceira vez que eu vejo e toda vez fico viajando em sua perfeita harmonia com sua guitarra. É bonito de se ver. Macaco Bong é sempre uma sintonia perfeita.

Hoje a noite o Festival Poraquê segue com destaques das bandas Beradelia (Porto Velho), Strobo (PA) e Vandaluz (MG).

Todas as fotos do Festival Poraquê você poderá conferir no link: www.flickr.com/maryjannejipa

3 comentários:

Anônimo disse...

Pra mim a SubPop e a Macaco Bong foram as melhores do Sábado.
:p

Anônimo disse...

Pra mim a SubPop e a Macaco Bong foram as melhores do Sábado. :p

sx f 13 disse...

as primeiras eu só ouvi msm, estava na maca fazendo uma nova tatto, mais o local nao foi um dos melhores como vc msm falou, mais aos poucos conseguiremos melhores lugares e macaco bong pqp, sem comentarios... fecha e abre qualquer evento com chave de ouro, o guitarrista lembra mnto steve vai, aqla cara de qm toca com a alma... mnto fodaa