16 de abr de 2011

Armas e armaduras

*Por Mary Camata

Hoje eu decidi que não vou mais escrever. Aliás, decidi que não vou mais falar com ninguém. Decidi que vou passar pela rua e não cumprimentar ninguém, não darei mais bom dia e nem boa noite. Não darei meu lugar a nenhuma senhora idosa e nem a nenhuma grávida. Não distribuirei sorrisos falsos,nem apertos de mão e também não pedirei mais por favor nem com licença quando eu passar.

Decidi viver dentro de uma bolha onde as pessoas passarão por mim e não me verão, assim não precisarei mais falar com elas. Não quero ouvir os problemas de ninguém e muito menos dar conselhos sobre namorados ou que faculdade você deve escolher pro seu futuro. Ah, e também não quero que você me pergunte se estou bem porque todo santo dia vocês me perguntam a mesma coisa. É tudo sempre tão igual, sem mudar nada em perfeita sintonia. É como se fosse uma regra a seguir, dar bom dia, boa tarde, por favor, com licença e obrigada.

Por acaso seguir essas regras deixou alguém mais educado? Não, pelo contrário. As pessoas que acreditam que dar um sorriso, mesmo que seja falso, é sinônimo de simpatia está errada como a mesma pessoa que acredita que pode fazer tudo errado que depois é só ir a igreja pedir perdão aos pecados que tudo será perdoado.

As regras da “boa educação” não mudaram você para melhor. Apenas te fizeram uma pessoa mecânica que mesmo quando está sentindo uma enorme dor por dentro ou explodindo de felicidade, sempre vai seguir as regras de ser apenas sociável. Ser sociável não vai te tornar mais civilizado e nem mais culto . Não adianta defender algo que julgas errado, agredindo com mil pedras na mão aquilo que te incomoda. No fundo, você sabe que aquilo que te incomoda, é porque se viu naquela situação detestável que você nunca imaginou estar. Não procure ser perfeito porque você não será. Não finja ser quem você é e não julgues para não ser julgado.

Não diga que não gosta de algo só porque tem vergonha do que os outros vão pensar. Não segure o choro quando a sua vontade é de gritar e se espernear. Não finja que não é com você quando alguém te perguntar algo que você não gostaria de responder. Não seja hipócrita quando você comete o mesmo erro que a pessoa que você julga. Não cuspa pra cima, pois na maioria das vezes cai na testa. Não se vista de máscaras, porque uma hora ela pode cair. Lembre-se sempre, que você não é de ferro e que dentro de você, além de um coração, deve existir um cérebro. Aprenda a usar os dois e seja muito feliz.

2 comentários:

Youssef disse...

Legal Mary, vc escreve mto bem!
Parabéns! :D

Anônimo disse...

????????????????
Quem é tão horrivel assim que não consegue ser sincero?
há quem julgues os outros pelo proprio modo de ser...
Mas ninguem é igual