5 de jul de 2010

Final de semana tem Festival Quebramar

Estará acontecendo na capital Macapá (AP) nos dias 08,09 e 10 de julho, a 3ª edição do Festival Quebramar. Consolidado como o maior representante do gênero independente no Amapá, o festival traz vinte e cinco bandas para o Anfiteatro da Fortaleza de São José durante três noites que prometem agitar a capital.

Em 2010, o Quebramar ocorrerá nos dias 08, 09 e 10 de julho. A Fortaleza de São José de Macapá, uma das sete Maravilhas do Brasil, será novamente o cenário deste grande evento, onde o público poderá prestigiar muita música, debates e workshops, entre outras atividades, que pretendem fortalecer os artistas, produtores e agentes locais.

O povo tucuju terá aproximadamente 17 horas do melhor da música independente atual. Disseminando o conceito de diversidade cultural, a programação deste ano apresenta o som de grupos amapaenses de Batuque e Marabaixo, ao lado de grandes nomes como os das bandas Móveis Coloniais de Acaju (DF), destaque do rock nacional; Mukeka di Rato (ES), consagrada banda de grindcore; o rapper cuiabano Linha Dura (MT); e o jazz experimental da Pig Soul (SP). As bandas Paris Rock (PA) e Brown-Há (DF), Juca Culatra & Power Trio (PA), Desalma (PE) e The Baudelaires (PA) também engrossam a lista. Além disso, no line up, encontramos bandas que se consolidaram local e nacionalmente, como Mini Box Lunar e Stereovitrola. Há espaço também para as revelações, tais quais Godzilla e Amaurose.

DEBATES E WORKSHOPS

Uma característica marcante do Quebramar é não se prender a uma programação musical, mas também abrir espaços para o debate crítico. Assim como nos anos anteriores, integra-se às atividades os workshops de “Oficina livre de Guitarra” e “Oficina de formação Cineclubista”; os debates “Redes Sociais, Música e Mercado” e “Jornalismo Cultural e a cena independente brasileira”; além da I Mostra Inovacine de Cinema Contemporâneo.

PARCERIAS

O Festival Quebramar tem apoio do Governo do Estado do Amapá, Secretaria Estadual de Cultura (SECULT), Prefeitura de Macapá e GHATA. A realização é feita pelo Coletivo Palafita, organização que desde 2006 desenvolve trabalhos na área da cultura com fins de estimular a cadeia produtiva do setor numa perspectiva cooperativista. É articulado ao Circuito Fora do Eixo, rede nacional de coletivos culturais que seguem os mesmos valores, totalizando 46 pontos pelo país. Este evento é apenas uma das ações engendradas pelo grupo, que enfoca a cultura jovem e urbana macapaense, crescente e cada vez mais receptiva as novidades apresentadas.

Um comentário:

piti dutra disse...

Oô! tem coisa rolando em lugares que nem se imagina... e isso é muito legal!
Aqui no RS os "festivais" que rolam, em sua maioria, são aquelas coisas caça-níqueis tipo PAY TO PLAY. ou Mega troços nada indie.
A cena que vale a pena rola subterrânea, com um QUÊ de seita secreta.
O melhor rocknroll (a la psichobilly) de portoalegre
: DAMN LASER VAMPIRES

Confiram!