22 de fev de 2010

Grito Rock toma conta da América Latina

A esta altura, até o folião mais apaixonado anda implorando para ouvir alguma coisa além de samba e marchinha. Que dirá quem nem gosta tanto assim da coisa... Foi pensando nessa galera que, em 2003, um grupo de produtores de Cuiabá inventou de fazer um festival de rock, de baixo custo, no meio do carnaval. Chamaram seis bandas locais e batizaram o evento de Grito Rock. Teve público, e o festival voltou no ano seguinte, com o reforço de bandas vizinhas. No boca a boca, outras cidades decidiram seguir o exemplo. Resultado: o Grito Rock virou o festival integrado mais disseminado pelo país. O calendário também se espalhou. Em 2009, o Grito Rock cruzou a linha de 50 cidades. E em 2010, o festival acontece em mais de 70 cidades brasileiras, justificando assim o título de “maior festival integrado da América Latina”, já que, além dessas, mais quatro cidades fora dos limites tupiniquins realizam o Grito: Buenos Aires (Argentina), Córdoba (Argentina), Montevidéu (Uruguai) e Santa Cruz de La Sierra (Bolívia).

O festival nasceu em Cuiabá (MT), no ano de 2001, como uma alternativa, movida a guitarras, às marchas de carnaval, e hoje se tornou um dos eventos com o “line up” mais diverso do País. Para que aconteça com esta amplitude, o evento envolve a cooperação de vários membros da cadeia produtiva: sejam músicos, jornalistas, produtores, videomakers, entre outros.

Este ano, teve cidade "gritando" já no fim de janeiro. Outras deixaram para o fim do mês. O Grito Rock RJ, por exemplo, vai rolar esta semana, com shows em Niterói e no Circo Voador.

GRITO ROCK RJ - Várias edições já aconteceram neste mês de fevereiro pelo Brasil. Segundo informações do site oficial do Grito Rock (www.gritorock.com.br), O Grito Rock RJ será realizado pelo 4º ano consecutivo no Rio de Janeiro. Na edição desse ano (a maior que o evento já teve desde a sua criação no Rio, em 2007), o Grito traz algumas novidades. A primeira é que ele passa a ser abrigado em novo espaço, o Circo Voador (dias 26 e 27 de fevereiro), além de ganhar, pela primeira vez, uma edição em Niterói, que acontece 25 de fevereiro, no Hum Grill.

A edição desse ano do Grito RJ traz ao todo 14 bandas e artistas solo, que tem entre seus destaques as bandas Móveis Coloniais de Acaju (DF), que traz o show do CD “C_MPL_TE”, considerado pela Rolling Stone um dos “5 Melhores CDs de 2009”, e Velhas Virgens (SP), que faz show de lançamento do CD “Ninguém beija como as lésbicas“. Outros importantes nomes do circuito alternativo vão se apresentar no evento. São eles: Madre (Petrópolis, RJ); Motherfunk (Niterói); Sabrina Ribeiro (Niterói); Katia Dotto (RJ), esta última faz show de lançamento do CD “Amabile”; Aumumana (RJ), Wander Telles (RJ), Sabonetes (SP), fazendo show de lançamento do CD homônimo; Tereza (Niterói), banda vencedora do Festival Universitário da MTV de 2009; Os Abreus (RJ);Martiataka (Juiz de Fora, MG), fazendo show de lançamento do CD “À Moda do Caos“; do projeto 11:11 (RJ- foto), marcando a estréia da banda paralela de Tchello, baixista do Detonautas, e Cabaret (RJ), fazendo show de lançamento do CD “A Paixão Segundo Cabaret“.

Além dos shows, o Grito Rock RJ também traz apresentações de DJs e VJs. O DJ Uno se apresenta em Niterói (25/2) e no Circo Voador (26/02). Nos dias 26 e 27, o evento conta com apresentações dos VJs Mago e Helinho, produtores da “Festa do Baco”. No dia 27, é a vez do o DJ Renatinho Jukebox, que comanda a bem sucedida festa “College Rock Party“.

O evento ainda promoverá exposição de fotografias e Guitar Hero liberado no telão. Em parceria com a ONG Viva Rio, a produção do evento vai arrecadar alimentos para serem doados aos desabrigados da Baixada Fluminense.

SEU PRÓPRIO GRITO - De Boa Vista a Pelotas, 80 cidades brasileiras fizeram ou estão fazendo seu próprio grito este ano. São 600 bandas tocando por aí. De rock, principalmente. Mas não só. Como nasceu como alternativa ao som dos tamborins, o festival sempre quis oferecer cardápio variado num período de programação quase monotemática. E agora, após ganhar o Brasil, o Grito Rock começa a se internacionalizar. Cidades hermanas - como Buenos Aires e Córdoba, na Argentina; Montevidéu, no Uruguai; e Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia - também estão sediando versões do festival.

O Rio aderiu depois que Jô Rocha, produtora de bandas independentes, teve um cliente (o grupo TOATOA) escalado para tocar em Cuiabá: - Adorei a idéia, vi que várias cidades estavam fazendo isso, e nada do Rio. Então, resolvi arriscar - ela conta.

Em 2007, Jô organizou o primeiro Grito Rock, com dez bandas em dois dias, na Barra. Este ano, com o crescimento da folia, ficou difícil achar lugar no carnaval.

INTERNET - Algumas bandas que tocam no Grito Rock foram selecionadas pela internet. O festival foi o primeiro evento a fazer uso do Toque no Brasil, um site que faz a ponte entre artistas e produtores independentes. Funciona como uma rede social: de um lado, a banda se apresenta e diz onde gostaria de tocar e em que condições. Do outro, o produtor se apresenta e diz que tipo de banda procura e o que tem a oferecer. E, assim, gente que dificilmente se conheceria - de Boa Vista a Pelotas - pode trocar informações, agitar turnês, fazer a produção cultural circular. Artistas encontram palcos; palcos encontram artistas.

O site foi lançado em janeiro deste ano pelo Circuito Fora do Eixo, rede de produtores culturais independentes de várias cidades do país. Um dos parceiros da idéia é a Associação Brasileira de Festivais Independentes (Abrafin), que reúne 40 eventos do gênero, como o Abril Pro Rock, o Porão do Rock e o Goiânia Noise. Só nos primeiros dias, o Toque no Brasil recebeu mais de 500 inscrições. Aos poucos, espera-se, esse cadastro virtual permitirá, também, mapear a produção cultural do país. E melhorar seus rumos. Quem participa também pode fazer comentários depois, dizendo o que funcionou bem ou não.

GRITO ROCK FORTALEZA - O Grito Rock Fortaleza chega à terceira edição: as bandas locais The Drunks, Baby!, Dago Red, Piron Heron, Roadsider e o trio pernambucano Voyeur compõem a programação do festival que acontece no próximo dia 27 de fevereiro, no Hey Ho Rock Bar – comemorando 7 anos da casa.

GRITO ROCK LONDRINA (PR) - No próximo final de semana, nos dias 26 e 27 de fevereiro, Londrina será, pelo quarto ano consecutivo, cenário do Festival Grito Rock.Os destaques ficam por conta da paulista Ecos Falsos, elogiados por Tom Zé a banda coleciona diversas apresentações em festivais pelo Brasil e da curitibana Punkake formada somente por meninas a banda ultrapassou a marca de 1 milhão de acessos no myspace. No sábado é a vez da ascendente Subtropicais de Porto Alegre e da irreverente Trilöbit que em 2009 circulou por 17 cidades brasileiras, incluindo turnês no norte e nordeste do país.

Saiba tudo sobre o Grito Rock: http://gritorock.com.br/
Fonte de pesquisa: Uol, Abril, Grito Rock

Um comentário:

Anjos da Noite disse...

Gostamos muito do texto!!!!