16 de abr de 2009

Festival traz Mötorhead, Camelo e revelações do rock

Neste fim de semana Recife vai respirar rock n'roll. O festival Abril Pro Rock chega à sua 17ª edição preservando a receita que vem alucinando platéias ao longo desses anos: a de levar aos palcos tanto artistas consagrados dos cenários nacional e internacional, quanto grupos recentes que vêm chamando a atenção do público alternativo. Na abertura dos portões, na sexta-feira (17) e no sábado (18), as 16 edições anteriores do festival serão relembradas na exibição do documentário Abril pro Rock Fora do Eixo, dirigido por Everson Teixeira, Júlio Neto e Ricardo Almôedo.
Este ano, o nome de peso do festival é o trio britânico Motörhead, principal atração do primeiro dia. Mas quem já escutou o som da banda sabe que, no Motörhead, o peso não está apenas no nome. O grupo, que surgiu no meio da década de 70, toca um hard rock que, por vezes, invade a sonoridade do heavy metal. Neste que será o primeiro show do Motörhead no Nordeste, a banda promete apresentar algumas canções de seu mais recente álbum (Motörizer, o 20º em sua discografia). Mas o setlist será majoritariamente composto por músicas consagradas, para delírio da maioria dos fãs, que verão a banda pela primeira vez.


MAIS MÚSICA - Além dos britânicos, que só devem tocar às 23h, outras quatro bandas se apresentarão na noite de estréia do APR 2009. A primeira a pisar no palco será o quarteto pernambucano AMP, que, apesar de ter apenas dois anos de existência, conta com músicos de bagagem (dois deles são ex-integrantes da Astronautas, banda conhecida na cena local). A AMP dá a vez ao Black Drawing Chalks, de Goiás. Criada em 2004, a banda apresenta um rock n’ roll que é resultado da mistura de várias influências.
Completando o time estão as bandas Matanza, do Rio de janeiro, e Decomposed God, de Pernambuco. Matanza dispensa apresentações. Os cariocas já são conhecidos dos roqueiros brasileiros, e há algum tempo que freqüentam a programação da MTV. Esse, aliás, será um dos shows mais aguardados da noite (depois do Mötorhead, claro). A Decomposed God já tem 17 anos de estrada e é um dos nomes mais importantes do death metal brasileiro.
O festival segue neste sábado (18) com Marcelo Camelo, Heavy Trash, Móveis Coloniais de Acaju, Mundo Livre S/A, Vanguart, Retrofoguetes, Volver, Vivendo do Ócio, Johnny Hooker & Candeias Rock, City e The Keith.


Fonte: JC online

Nenhum comentário: