21 de jul de 2008

Pessoas invisíveis: o rock da bahia


A banda Pessoas Invisíveis, formada em 2006, é uma banda de rock da Bahia. O EP de estréia da banda, com a produção de Jera Cravo - que teve a arte produzida pelo designer Edson Rosa, responsável também pela arte do disco "Anacrônico", de Pitty – rendeu um clipe para a música "Começo do Fim", com direção de Gustavo Seabra, e que está disponível no site Youtube.

O grupo já vem rodando pelos palcos de Salvador, tocando com os principais nomes da cena rock soteropolitana. A banda conta como integrantes que trabalha/trabalharam com vários músicos e conjuntos que devem estar presente de algum modo no "sounds Like" da banda como: Bruno Carvalho (voz e guitarra – The Honkers / Vendo 147 / Nicest / Ladyllama / Partido Alto / Fontaka), André Freitas (guitarra – Vinil 69 / Aguarraz / Sentinela 12 / Coubel / Versette), Bernardo Moscovits (baixo – Sentinela 12 / Brazuca / Estreita) e Voltz (bateria- Brinde).

Confira um pouco mais sobre a Banda em uma entrevista exclusiva com o baixista, Bernardo Moscovits:


De onde surgiu a idéia do nome " Pessoas Invisíveis"?
A idéia do nome da banda foi de Bruno (vocal/guitarra). Ele se inspirou numa peça de teatro, do Rio Grande do Sul, que tinha esse mesmo nome. E por mero acaso, isso virou um estigma forte no começo da banda, pelo fato de ter começado apenas com Bruno, que inclusive gravou o EP sozinho, apenas com a ajuda de nosso amigo e produtor Jera Cravo, que gravou as baterias. Daí, a imprensa resolveu chamar a Pessoas Invisíveis de "a banda de um homem só". Mas, depois disso a banda virou uma banda de verdade, com membros fixos, e essa definição não durou muito.

Qual o diferencial da banda?
Bom...Acho que o nosso diferencial é o fato de fazermos um som diferente do que tá rolando atualmente. Se você ouvir nosso disco, pode perceber diversas sonoridades misturadas, e isso aconteceu de forma bastante natural. Nossas músicas soam diferentes umas das outras. Rock´n roll, balada, músicas pesadas. Os solos de guitarra estão presentes nas nossas músicas, apesar de que hoje em dia poucas bandas ainda os fazem.Enfim....Hoje em dia eu sinto falta disso nas bandas. Percebo que muitas bandas atuais são facilmente rotuláveis e as músicas soam muito iguais.

Por onde a banda já se apresentou?
A banda já se apresentou praticamente em todas as "casas de rock" em Salvador: Calypso, Zauber, Boomerangue, Icba etc . Além disso, em 2006 vencemos o concurso do Trama Universitário, e fizemos um show no Rio de Janeiro, mais precisamente no Vivo Rio, onde abrimos o show da Maria Rita. Participamos de outros festivais, que foram o "Nada Pode Parar o Rock", em Aracaju e o "Boom Bahia", em Salvador.

Quais são as influências da banda?
As influências da gente são diversas, até pelo fato de cada um na banda ter uma peculiaridade musical. Creio que, tratando-se de bandas, a gente gosta bastante de: Led Zeppelin, Foo Fighters, Queens of The Stone Age, Pixies, Black Crowes, Los Hermanos, dentre outros.

Quais os planos para esse segundo semestre da banda PI?
Estamos com o nosso primeiro disco no forno (sucessor do primeiro EP da banda). O disco já está pronto e conta com 13 faixas, com participações de grandes amigos nossos: Martin Mendonça (Pitty), Ronei Jorge (Ronei Jorge e Os Ladrões de Bicicleta), Jera Cravo (Lou), Felipe Brust (The Honkers) e Nilma Cris.
Estamos esperando o resultado de um edital de cultura, para enfim lançarmos o disco, que deve sair em formato SMD. Caso não role dessa forma, nós mesmo arcaremos com os custos, para lançar o disco. Enquanto o disco não sai, vocês podem ouvir 6 músicas novas no nosso myspace: http://www.myspace.com/opessoasinvisiveis
Além dessas 6 músicas, disponibilizamos mais outra, inédita no: http://www.tramavirtual.com.br/pessoas_invisiveis
No dia 25/07, estaremos lançando o primeiro clipe desse disco, que será da música "Pra sempre", e estará disponível no youtube e no nosso myspace.
A intenção é de divulgar o disco e o clipe nacionalmente e fazer mais shows fora do nosso estado.

Um comentário:

Ellen Veloso Soares disse...

Boa tarde, Mary!
Obrigada pela visita e pelo comentário!
Virei ler seus textos mais vezes.
Abraços,
Ellen.