15 de jul de 2008

Bzão COMPLETA 2 ANOS no Jornal do Brasil

O Personagem criado pelo Jornalista Pedro de Lunna (RJ) foi publicado pela primeira vez em 19 de julho de 2006. Projetos futuros incluem livro, site e mais exposições. A próxima acontecerá ainda este mês.
Ele é topetudo e usa sempre uma camisa preta com a letra B. Tem uma banda de rock, uma gata branca, uma namorada e leva um estilo de vida alternativo. Com pouco dinheiro no bolso e muitas idéias na cabeça o personagem Bzão está fazendo dois anos de vida, desde a primeira tira publicada nas páginas do caderno B do Jornal do Brasil. Mas quantos anos têm o Bzão na vida, digamos, real? "Uns 18, 19, ele acabou de entrar pra faculdade", entrega o quadrinista Pedro de Luna, 33. "Os outros personagens que se relacionam com ele também: sua namorada Bzuda, o primo Bzinho e o amigo Gogó". O personagem Bzão foi criado por ocasião do Dia Mundial do Rock, comemorado sempre em 13 de julho. "O jornalista Mario Marques, editor do caderno B, começaria a escrever a coluna BdeBanda (que também dá nome a um festival anual para bandas independentes) e achava bacana ter uma tirinha ali. Como eu já fazia o Dr. Pop, um cientista maluco em busca da fórmula do sucesso, decidimos criar um que tivesse uma vida alternativa, lado B total", explica Luna. Até agosto de 2007 as tiras do Bzão saíam uma vez por semana na BdeBanda. Até que o editor decidiu acabar com a coluna e promoveu o roqueiro para a seção Tiras, ao lado de Ota, Ciça e André Dahmer, publicando de segunda a sexta. Nesse meio tempo, Pedro chegou a ilustrar três capas pro Caderno B, duas com o personagem topetudo.

EXPOSIÇÕES E FOTOLOG
Além do jornal impresso, as tiras do Bzão são divulgadas pela internet (www.fotolog.com/jornaldorock) e através de exposições, sempre em shows de rock. "Para dar a trilha sonora ambiente adequada", frisa Pedro de Luna. E assim como o seu criador, a criatura já tem várias milhas na bagagem. A exposição já esteve em festivais de rock no Acre, em Rondônia e Cuiabá. No Rio, o Bzão marcou presença em festivais como Grito Rock, Araribóia Rock e Laboratório Pop, além da Mola (Mostra Livre de Artes) no Circo Voador. Sempre com grande sucesso e identificação do público.
De fato, não são apenas músicos e pessoas ligadas à música que se vêem nas tirinhas. "Algumas tiras fizeram grande sucesso e rodaram pela internet, com as pessoas enviando por e-mail para os amigos", conta Luna. "Este ano, por exemplo, fiz uma sobre a figura do Produtor Cultural que fez grande sucesso". O quadrinista procura variar o tema, passando por futebol, política, carros e tecnologia, sempre buscando críticas construtivas. "No mês passado saiu uma tira onde o Bzão falava que computador faz tudo e a empregada ficava enciumada, a ponto de perguntar se a máquina fazia um feijão tão bom quanto o dela. Esses conflitos do mundo moderno são colocados através do humor".

A próxima exposição acontecerá a partir do dia 22 de julho (terça) na UFF, durante o 29o Encontro Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (http://enecom2008.com/). Ainda este ano Pedro pretende criar um site na internet e publicar um livro com as 100 melhores tirinhas. "Haverá também histórias maiores e o encontro do Bzão com o Dr. Pop. No momento eu estou procurando uma editora interessada nesta parceria".

Fonte: Pedro de Luna bzaobzao@gmail.com
Fotos: Alamaryjanne

Nenhum comentário: